Professora primária de Phelps previa futuro difícil para ele

quinta-feira, 21 de agosto de 2008 03:37 BRT
 

Por Simon Denyer

PEQUIM (Reuters) - Quando Michael Phels era garoto, a professora da escola primária disse à mãe de seu aluno que ele nunca seria capaz de fazer nada importante, porque era incapaz de se concentrar.

Quando Phelps ganhou a primeira de suas 14 medalhas de ouro, em Atenas-2004, ele lembrou dessas palavras no pódio, ouvindo o hino nacional norte-americano.

A despeito de ter sido diagnosticado com transtorno de déficit de atenção por hiperatividade quando tinha 9 anos, Phelps provou que sua professora estava espetacularmente errada.

"Ele era um garotinho com muita energia, sempre perguntando 'Por que estamos fazendo isso? Quando vamos fazer isso? O que vamos fazer depois?"', disse Debbie, mãe do atleta, à Reuters, em uma entrevista.

"Desobediente não é uma palavra que eu possa usar. Ele era voluntarioso, inventivo", comentou. "Definitivamente o esporte canalizou muito dessa energia."

Por conta do próprio Phelps, desobediente é uma palavra que algumas pessoas poderiam usar.

Em sua autobiografia, ele disse que era um "rato de piscina", correndo por todo lado, perturbando as pessoas, escondendo os óculos de natação dos outros, batendo nos ombros das pessoas e correndo e causando balbúrdia geral.

Ele também era difícil de lidar na hora das refeições, porque sempre tinha que estar fazendo alguma coisa com suas mãos.   Continuação...