Phil Dalhausser estabelece um novo nível no vôlei de praia

sexta-feira, 22 de agosto de 2008 04:38 BRT
 

Por Jane Barret

PEQUIM (Reuters) - Quando dois amigos tentaram convencer o adolecente Phil Dalhausser a jogar vôlei de praia, ele ridicularizou a oferta por entender que era um "esporte de meninas".

Nem em seus sonhos mais mais malucos ele imaginou que iria ganhar uma medalha de ouro olímpica e estabeler um novo padrão ao esporte.

Na sexta-feira, "A Besta de Pequim" mostrou por que ele passou do topo do ranking para o alto do pódio olímpico, conseguindo uma série de bloqueios decisivos na final, ao lado de seu companeiro de dupla Todd Roger. Os dois venceram a dupla do Brasil por 2 sets a 1, com parciais de 23-21 17-21 e 15-4.

"Sinceramente, se me dissessem que estaria aqui hoje, eu responderia que estavam absolutamente loucos", disse o jogador de 2,06m, brincando com a medalha ao redor do pescoço.

Nascido na Suíça, o jogador foi morar na Flórida ainda bebê. Gostava muito mais de tênis e de beisebol, até que uma garota de sua classe e uma professora de matemática o persuadiram a ingressar no vôlei de quadra.

Ali, foi muito bem, jogando em nível universitário, mas depois de um tempo seus joelhos começaram a sofrer. Entao, passou para o vôlei de praia.

"Resolvi tentar. Depois, me tornei profissional mais para 'retardar o mundo real', como forma de adiar a procura de um emprego de verdade", disse o jogador de 28 anos.

Ele teve sucesso apenas relativo, com seu primeiro parceiro Nick Lucena. As coisas decolaram somente depois de se juntar a Rogers, que substuiu Lucena (contundido) na dupla, bem às vésperas do Mundial de 2005.   Continuação...

 
<p>O americano Philip Dalhausser comemora o ouro Ol&iacute;mpico, conquistado com a vit&oacute;ria sobre o Brasil. Photo by Gil Cohen Magen</p>