McLaren acredita que Renault se aproveitou de espionagem

sexta-feira, 23 de novembro de 2007 10:29 BRST
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - A McLaren acredita que a rival Renault teve "benefício claro e vantagem injusta" com as informações técnicas obtidas da equipe através de um ex-funcionário, de acordo com um comunicado vazado para a imprensa nesta sexta-feira.

A Renault, campeã de 2005 e 2006, foi intimada a depor diante de um tribunal da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) em dezembro para responder sobre a acusação de posse de dados da McLaren.

A equipe admitiu ter recebido informações em alguns "disquetes antigos" que continham projetos mecânicos da McLaren, mas garantiu que seus carros não continham nenhum dado da equipe adversária.

A Renault também suspendeu o ex-mecânico da McLaren Phil Mackereth.

A McLaren afirmou, entretanto, que as informações poderiam ser bem mais significantes do que se imaginou inicialmente.

"Está claro que informações confidenciais da McLaren foram conhecidas, disseminadas amplamente e debatida por mecânicos e engenheiros da Renault, fornecendo a eles um claro benefício e vantagem ilegal", disse o advogado da McLaren Baker McKenzie em documento enviado à FIA.

O comunicado afirma que 33 arquivos de informações técnicas confidenciais da McLaren foram copiados em 11 disquetes em março de 2006 e depois salvos em computadores da Renault em setembro.

Os arquivos continham mais de 780 projetos "resumindo os projetos inteiros dos carros da McLaren de 2006 e 2007".