23 de Agosto de 2008 / às 08:03 / 9 anos atrás

Americanos prontos para restaurar supremacia de seu basquete

Por Alastair Himmer

PEQUIM (Reuters) - Os homens do basquete da Espanha terão de encarar o time dos Estados Unidos, e o domínio olímpico que vem impondo, na final do torneio em Pequim. E isso, apenas oito dias depois de terem sido massacrados pelos norte-americanos por 119 a 82.

"Não esperamos conseguir uma outra vitória como aquela", disse LeBron James, cestinha dos Estados Unidos, antes desta final de domingo. "É um outro jogo."

De toda forma, os norte-americanos estão confiantes e têm boas razões para isso. Em Pequim, passaram pelos times adversários com diferença média de 30 pontos. E ninguém, fora a Espanha, acredita que os Estados Unidos emergirão da partida sem sua 13a. medalha de ouro olímpica.

"Ninguém é imbatível", disse o ala Luis Scola, da Argentina -- que foi a medalha de ouro em 2004. Os argentinos derrotaram incontestavelmente os norte-americanos ainda nas semifinais de Atenas, quando fecharam 101-81.

"Mas eles saltam mais alto, correm mais rápido, são mais fortes. Você tem de jogar feio e incomodá-los. É o único jeito."

Com a derrota para a Argentina quatro anos atrás, nas semifinais, os norte-americanos vão querer deixar claro, à Espanha, a sua superioridade.

"Não sei o que estão dizendo que podemos fazer para garantir a vitória", disse o técnico espanhol Aito Garcia Reneses. "Mas com certeza não repetiremos aquele jogo que fizemos."

Para Kobe Bryant, o jogador mais espetacular da NBA, ganhar o ouro seria perfeito para comemorar os 30 anos que completa neste sábado, véspera da final.

"Eu me sinto mais jovem agora do que me sentia alguns anos atrás", diz o jogador do Los Angeles Lakers. "Minhas pernas estão muito bem. Eu me sinto muito bem."

Bryant não espera brincadeiras sobre seus 30 anos.

"Eles sabem que vão ter de se encontrar comigo em outubro" (quando começa a temporada da NBA), disse, com uma piscada.

Manu Ginobili, o melhor jogador da Argentina, que torceu o tornozelo na semifinal, é dúvida na disputa do bronze contra a Lituânia.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below