F1 pode sofrer mudanças em treino após punição a Hamilton

segunda-feira, 24 de março de 2008 11:08 BRT
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - A Federação Internacional de Automobilismo recebeu pedidos para modificar os procedimentos do treino classificatório da Fórmula 1 por medidas de segurança, após os pilotos da McLaren Lewis Hamilton e Heikki Kovalainen terem sofrido punições no fim de semana.

Hamilton, líder do campeonato, e seu companheiro de equipe foram punidos com a perda de cinco posições no grid de largada de Sepang por terem atrapalhado adversários que estavam em volta rápida, enquanto guiavam lentamente para economizar combustível após terem registrado seus tempos.

A nova regra para a atual temporada impede que os 10 pilotos que participam da parte final do treino abasteçam seus carros entre o fim do treino de sábado e a corrida de domingo. A duração da parte final do classificatório também foi reduzida em cinco minutos, permitindo aos pilotos fazer apenas duas voltas rápidas com pneus novos.

O novo formato despertou preocupações de segurança, uma vez que os pilotos que já completaram suas voltas rápidas diminuem imediatamente a velocidade para economizar gasolina, enquanto outros carros ainda estão em suas voltas em velocidade.

"Eu claramente não gosto dos riscos implícitos nessa situação", disse o chefe da equipe BMW Sauber, Mario Theissen, no fim de semana.

"As diferenças de velocidade são tão grandes que esse é um problema que precisa ser resolvido urgentemente, espero que até a próxima corrida, no Barein."

O bicampeão mundial Fernando Alonso, da Renault, e o alemão Nick Heidfeld, da BMW Sauber, reclamaram após o classificatório de sábado que foram atrapalhados em suas voltas rápidas por pilotos que guiavam mais devagar.

"Acho que isso é por causa das regras deste ano para o final do treino, as pessoas acabam as voltas rápidas em um momento diferente e em posições diferentes", disse Alonso.

"Eles (pilotos da McLaren) terminaram suas voltas um pouco antes que a gente, mas para mim tenho certeza que isso foi a pior coisa", acrescentou o espanhol.