A Olimpíada foi deslumbrante, mas nem todo mundo foi seduzido

domingo, 24 de agosto de 2008 02:51 BRT
 

Por Simon Denyer

PEQUIM (Reuters) - Foi uma coreografia intrincada na demonstração de força, modernidade, dinheiro, esportes e arquitetura. A Olimpíada na China deslumbrou o mundo, com um exercício de relações públicas ao custo de 43 bilhões de dólares, em escala jamais vista.

Atletas mostraram maravilhas em locais elevados ao status de arte, visitantes receberam o calor das boas-vindas e os telespectadores ficaram atônitos com a imagem de uma China cosmopolita e sofisticada.

O esporte dominou a agenda e a China chegou ao topo do quadro de medalhas. As preocupações com violações aos direitos humanos foram colocadas de lado e as nuvens de poluição se dissiparam.

E, no entanto, nem todo mundo foi seduzido.

Situações dissonantes soaram para estragar a sinfonia, disseram críticos, se você prestar atenção.

"A marca China passou por um destacado trabalho de repaginação de si mesma, com a ajuda da mídia norte-americana", disse Eli Portnoy, consultor de marcas. "A vasta maioria de norte-americanos já foi capturada na cerimônia de abertura."

"Algo que teria levado quatro ou cinco anos, eles fizeram em 17 dias", disse o consultor norte-americano.

A decisão de entregar a Olimpíada à China foi bem controversa. Em determinado ponto até parecia desastrosa.   Continuação...