FRASES-"A dor de um filho é impossível"

domingo, 24 de agosto de 2008 11:49 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - "É sempre mais fácil lidar com a própria dor, a dor dos outros é horrível. Agora, a dor de um filho é impossível. E ainda nem dá para ir abraçar... é horrível", disse o técnico Bernardinho sobre seu filho, o levantador Bruno, que chorou muito depois da derrota brasileira para os Estados Unidos na final olímpica de Pequim.

-- "Essa medalha ninguém me tira, só que vai ter briga em casa, porque a de ouro eu dei para a Nicoll (que nasceu durante os Jogos de Atenas-2004) e a de prata vou dar pro Patrick (que nasce em setembro)", disse Giba sobre a distribuição de medalhas olímpicas que recebeu entre seus filhos.

-- "Não vou acreditar até chegar em casa e sentar em meu grande sofá em frente à TV com a medalha no pescoço e uma cerveja gelada nas mãos. Depois de tanto tempo sou campeão olímpico", disse o levantador Lloy Ball, de 36 anos, que disputou sua quarta Olimpíada.

-- "Lá era um pouco frio e seco, enquanto aqui estava muito quente e úmido. A gente corria uns dois quilômetros e a boca já ficava seca", disse o maratonista brasileiro José Teles, 38o colocado, admitindo que a preparação na Colômbia não foi a mais adequada.

-- "Vamos superar essa disparidade? Não até que tenhamos outras 100 milhões de pessoas", disse a técnica da seleção feminina da Austrália, Jan Stirling, após a derrota para os EUA na final do basquete por 92 a 65.

(Edição de Pedro Fonseca e Tatiana Ramil)