24 de Agosto de 2008 / às 17:21 / 9 anos atrás

Massa se recupera e vence GP da Europa; Hamilton chega em 2o

<p>Massa vence GP da Europa e Hamilton chega em segundo. O brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, ganhou o Grande Pr&ecirc;mio da Europa, disputado no novo circuito de rua de Val&ecirc;ncia, e pulou para o segundo lugar no campeonato. 24 de agosto. Photo by Dani Cardona</p>

Por Timothy Collings

VALÊNCIA (Reuters) - Felipe Massa e Lewis Hamilton tiveram suas razões para ficarem aliviados neste domingo, depois de terminarem respectivamente na primeira e segunda posições em um Grande Prêmio da Europa quase sem ultrapassagens no novo circuito de rua de Valência, na Espanha.

A vitória de Massa serviu para diminuir o desapontamento do piloto da Ferrari, que abandonou o Grande Prêmio da Hungria, disputado há três semanas, com o motor estourado, quando era o líder da prova, a três voltas do final.

O brasileiro, que venceu a corrida deste domingo de ponta a ponta de maneira inquestionável, subiu ao pódio com um incidente de corrida não resolvido, que seria analisado pelos comissários.

No fim das contas, ele escapou com uma multa de 10.000 euros (14.870 dólares), com a decisão dos comissários de que apesar de sua saída de box após o segundo pitstop ter sido perigosa, ela não representou vantagem esportiva para o piloto.

Hamilton, da McLaren, que agora tem seis pontos de vantagem para Massa no Mundial de Pilotos, ficou feliz por ter conseguido superar o desconforto causado pelos sintomas da gripe e por dores no pescoço que chegaram a ameaçar a participação do britânico de 23 anos na prova.

A vitória devolveu Massa à segunda posição no campeonato, depois que seu companheiro de equipe e atual campeão mundial, Kimi Raikkonen, abandonou a corrida já em seu fim com outra falha de motor.

"Eu estou tão agradecido, tão feliz, de ter andado como andei aqui, depois de um resultado tão ruim na Hungria", disse Massa, que terminou a prova 5,6 segundos à frente de Hamilton, naquela que foi sua quarta vitória na temporada.

"O carro estava ótimo, especialmente no segundo trecho, e a equipe esteve ótima também. Conseguir a pole position, vencer a corrida e fazer a volta mais rápida -- você não poderia pedir mais após um resultado como o de Budapeste."

A Ferrari segue na liderança do Mundial de Construtores com 121 pontos, seguida pela McLaren, com 113, e BMW Sauber, com 96.

Nelsinho Piquet completou a prova em 11o lugar com seu Renault, enquanto Rubens Barrichello, da Honda, foi o 16o e penúltimo entre os carros que terminaram a prova.

HAMILTON SOFRE

Hamilton, que também ganhou quatro corridas nesta temporada, estava aliviado por deixar um "fim de semana miserável" para trás.

"Eu estive com sintomas de gripe e febre quase todos os dias. Me sentia sem energia e tinha problemas com espasmos no meu pescoço", disse ele. "Isso quase me deixou fora da corrida neste fim-de-semana."

"Pedro (de la Rosa, piloto de testes e reserva da equipe) estava de prontidão. Mas eu consegui chegar ao fim, mesmo com muita dificuldade."

O polonês Robert Kubica levou o terceiro lugar para a BMW Sauber, apesar de sua direção ter ficado desbalanceada em razão de um saco plástico que estava flutuando pela pista e acabou preso embaixo de seu carro nas voltas iniciais.

"Eu me sentia como se não fosse capaz de dirigir, foi bastante difícil segurar em duas curvas, até que o saco saísse de lá, e depois eu perdi a confiança que tinha no carro", disse ele. "Então fico feliz de ter chegado em terceiro, é um bom resultado para a equipe."

Raikkonen, que não vence desde o Grande Prêmio da Espanha, em abril, teve problemas em seu segundo pitstop e feriu um mecânico ao sair com seu carro antes que a mangueira de combustível fosse removida. Este incidente também ficou sob investigação dos comissários.

À parte os pitsops da Ferrari, o primeiro grande prêmio disputado em Valência se mostrou uma corrida previsível, com os três primeiros chegando ao fim nas posições em que largaram.

O abandono de Raikkonen, que jogou fumaça preta por todo o pit lane quando faltavam 12 voltas para o fim da corrida, novamente deixa evidente a fragilidade dos motores Ferrari para o restante do campeonato, que tem seis provas a serem disputadas.

"Esta é uma questão para nós, porque tivemos problemas na primeira corrida, na última e agora aqui", disse Massa.

A McLaren não teve muito com que se preocupar a este respeito, com o vencedor do GP da Hungria Heikki Kovalainen terminando em quarto, à frente da Toyota de Jarno Trulli e da Toro Rosso do alemão Sebastian Vettel.

O alemão Timo Glock foi o sétimo com uma Toyota, enquanto seu compatriota Nico Rosberg conseguiu a última posição que pontua com sua Williams.

Fernando Alonso sofreu a maior decepção, já que o espanhol bicampeão do mundo teve que abandonar logo depois da primeira volta, depois de sua Renault ter sido acertada por Kazuki Nakajima, da Willims.

"Eu queria seguir na prova pelos torcedores, mas o estrago foi muito grande," disse ele.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below