Samaranch refuta acusação de que não combateu doping com força

quinta-feira, 25 de outubro de 2007 12:28 BRST
 

Por Simon Baskett

MADRI (Reuters) - O ex-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) Juan Antonio Samaranch negou as acusações do presidente da Agência Mundial Antidoping (Wada), Dick Pound, de que teria sido fraco no combate ao doping e disse que as críticas são resultado de uma ambição fracassada.

"Não estou surpreso pelos comentários do senhor Richard Pound, já que desde 2001, quando foi realizada a eleição para Presidência do Comitê Olímpico Internacional, não há nenhum relacionamento pessoal entre nós", disse Samaranch em comunicado enviado à Reuters.

"Aquele ano, Jacques Rogge foi eleito como novo presidente pela maioria. Ele ganhou com 59 votos, enquanto o senhor Pound teve 22 e ficou na terceira posição. O senhor Pound ainda não esquece essa derrota."

Pound, que vai deixar a presidência da Wada este ano, declarou à Reuters em recente entrevista por telefone que Samaranch não teve interesse em tomar ações contra o doping no esporte até o escândalo na Volta da França de 1998.

Mas Samaranch, que foi presidente do COI entre 1980 e 2001, disse que Pound foi quem tomou uma atitude errada no caso de doping do velocista canadense Ben Johnson na Olimpíada de 1988.

"Lembro claramente a primeira vez que ouvi o senhor Pound falando sobre a questão de doping", disse Samaranch. "Foi em setembro de 1988, durante os Jogos Olímpicos de Seul."

"O senhor Pound defendeu Johnson e disse que ele tinha sido sabotado, já que teria sido forçado a beber um liquido intoxicado com a droga que foi depois detectada em um exame antidoping."

"Claramente essas alegações foram ignoradas e Ben Johnson foi suspenso e perdeu sua medalha de ouro."

Samaranch lembrou ainda que a Wada foi criada por sua própria sugestão, em 1999, enquanto ele ainda era presidente do COI.