Agência antidoping pode dar mais poder à Europa

sábado, 26 de janeiro de 2008 13:44 BRST
 

Por Darren Ennis

BRUXELAS (Reuters) - O novo chefe da Agência Mundial AntiDoping concordou em considerar a possibilidade de dar mais poder à União Européia, afirmou o ministro do Esporte da Eslovênia, Milan Zver, neste sábado.

Zver, cujo país detém a presidência da União Européia, afirmou que o chefe da Agência Mundial AntiDoping, John Fahey, se comprometeu a "estudar seriamente" os planos de chacoalhar a entidade conforme planos do bloco de 27 membros discutidos na sexta-feira.

"Fahey nos surpreendeu com sua idéia democrática. Ele certamente não disse 'não', o que ele poderia ter feito. Em vez disso, concordou em considerar seriamente as propostas", afirmou Zver à Reuters, por telefone.

Fahey assumiu no lugar de Dick Pound no primeiro dia deste ano, mas sua eleição foi marcada pela abstenção dos governos europeus, cujo candidato, Jean-François Lamour, desistiu de concorrer semanas antes.

Alguns ministros da União Européia tentaram adiar a eleição até o último minuto, para tentar conseguir outro candidato.

Mas Fahey foi eleito com o apoio do Comitê Olímpico Internacional (COI), cuja influência na Agência AntiDoping a União Européia quer diminuir.

"É sempre fácil dizer apenas que a reunião foi um sucesso, mas eu realmente acho que foi muito boa. O presidente ficou muito impressionado e aberto ao debate e a nossas propostas", afirmou Zver.

"É uma nova fase na história da agência para nós (União Européia). Uma importante página foi virada depois do colapso da eleição em Madri", disse ele, referindo-se à abstenção dos governos europeus na votação.   Continuação...