Chefe da Ferrari não apostava em título de Raikkonen

domingo, 28 de outubro de 2007 13:56 BRST
 

MILÃO (Reuters) - O chefe da Ferrari, Jean Todt, disse que nunca teria apostado em Kimi Raikkonen como campeão do mundo no início da temporada, quando a equipe italiana estava brigando para reconquistar a confiabilidade de seu carro.

O finlandês Raikkonen conquistou o título mundial da Fórmula 1 com a vantagem de apenas um ponto diante de Lewis Hamilton, da McLaren, seguido por Fernando Alonso, companheiro do inglês, após sua vitória no último GP da temporada, em São Paulo, no domingo passado.

"Para dizer a verdade, eu não teria apostado nesta vitória", declarou Todt a repórteres, neste domingo, durante a festa anual da Ferrari no circuito de Mugello, na Toscana.

"Para nós, 2007 foi um ano de transição de muitas maneiras. O time não estava consolidado e nós pagamos por isso na questão de confiabilidade, mas espero que não repitamos isso no próximo ano."

Raikkonen, no entanto, terá de aguardar até a audiência em 15 de novembro para confirmar seu título mundial, depois que a McLaren fez uma apelação contra a decisão de não punir três pilotos em São Paulo devido à irregularidade com o combustível de seus carros.

Se os três pilotos forem desclassificados da prova no Brasil, Lewis Hamilton ganharia algumas posições no grid de chegada e conquistaria pontos suficientes para ficar com o título mundial da categoria.

"A classificação final dos pilotos ainda não é definitiva. Mas, para nós, o que é mais importante é ter vencido o campeonato na pista e ninguém pode tirar isso de nós", acrescentou Todt.

A Ferrari já havia conquistado o título de construtores no mês passado depois que a líder McLaren perdera todos os seus pontos e não pontuaria mais nesta temporada por ser considerada culpada no caso de espionagem e obtenção de informações secretas da Ferrari.