Desmond Tutu defende boicote de líderes à abertura da Olimpíada

segunda-feira, 28 de abril de 2008 12:29 BRT
 

CIDADE DO CABO (Reuters) - O arcebispo ganhador do Prêmio Nobel da Paz Desmond Tutu pediu a líderes mundiais que não compareçam à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, em agosto.

"Líderes do mundo livre, pela finalidade do bem, não compareçam à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos até que esteja claro que eles (chineses) acabaram com a violência contra os tibetanos", disse Tutu em cerimônia na Cidade do Cabo, no domingo, durante o revezamento alternativo da tocha "tibetana".

O sul-africano acendeu a "tocha tibetana", que foi lançada em Nova Délhi em 30 de janeiro e vai viajar por cidades dos cinco continentes até voltar em maio para Dharamsala, na Índia, onde fica o Parlamento tibetano no exílio.

Protestos acompanharam a tocha olímpica oficial em diversas cidades do mundo, onde manifestantes contestaram a situação dos direitos humanos na China e a repressão do regime chinês no Tibet.

"Vamos deixar a China saber que esse é um universo moral", disse Tutu. "Devemos dizer a eles 'prestem atenção', porque de forma alguma o errado vai prevalecer para sempre. A injustiça não tem como prevalecer para sempre. Devemos dizer a todos esses opressores, vamos dizer no ouvido de Mugabe (o presidente do Zimbábue, Robert Mugabe), 'você já perdeu"', disse ele, sob aplausos.

O Zimbábue tem sido criticado internacionalmente por não divulgar os resultados da eleição presidencial de 29 de março, que a oposição alega ter vencido.

Perguntado sobre o anúncio feito pela China na semana passada de que pretende negociar com assessores do Dalai Lama, o líder espiritual do Tibet, Tutu disse que espera por "negociações expressivas".

"Rezamos para que os chineses saibam que é do melhor interesse deles fazer isso", disse Tutu à Reuters. Tutu é um amigo próximo do Dalai Lama.

(Reportagem de Wendell Roelf)