McLaren condena declarações da polícia italiana

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008 14:43 BRT
 

LONDRES (Reuters) - A McLaren condenou os comentários feitos pela polícia italiana de que investigadores tinham recolhido junto à equipe provas importantes que incriminariam a escuderia no escândalo de espionagem da Fórmula 1 no ano passado.

"A McLaren Racing deseja registrar seu extremo descontentamento com as reportagens sobre um comunicado que a polícia italiana teria divulgado ontem", disse a equipe italiana em nota oficial nesta sexta-feira.

"Se essas reportagens realmente refletirem o comunicado da polícia, esse comunicado está grosseiramente inadequado e sem sentido."

Executivos da McLaren, incluindo o chefe da equipe, Ron Dennis, e o presidente, Martin Whitmarsh, foram interrogados na Grã-Bretanha, na quarta-feira, como parte do inquérito judicial sobre a posse não autorizada de dados da Ferrari pela McLaren na temporada passada.

O escândalo custou à McLaren o título do Mundial de Construtores. A equipe foi excluída do campeonato por equipes e ainda recebeu multa de 100 milhões de dólares.

O comunicado de quinta-feira da polícia italiana disse que o material recolhido da equipe "vai se encaixar no quadro geral das provas" do qual "claramente emerge a responsabilidade da administração e de alguns técnicos de alto escalão da McLaren".

A McLaren disse que isso está errado.

"Na verdade, a polícia italiana ainda não recebeu acesso a nenhum material apreendido, nem mesmo começou a revisão desse material", disse a equipe na nota.

"Nós ficaríamos extremamente surpresos se a revisão dos documentos revelasse qualquer coisa que ainda não tenha sido revelada, como resultado de uma extensiva investigação que já vem sendo realizada."   Continuação...