ENTREVISTA-De peão a cavaleiro olímpico, Clementino faz história

sexta-feira, 2 de maio de 2008 16:09 BRT
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO (Reuters) - Quando criança, o sonho de Rogério Clementino era ser peão de rodeio, mas após algumas provas acabou se achando em outra montaria. Aos 26 anos, é o primeiro cavaleiro negro na história a se classificar para os Jogos Olímpicos na prova de adestramento.

Clementino, o primeiro negro numa equipe olímpica de hipismo do Brasil, é também o único atleta do país com vaga assegurada em Pequim.

"Minha vida inteira foi dedicada a trabalhar em fazenda, por isso que tenho essa paixão por animal. Meu sonho era montar, eu queria ser peão, gostava de montar em boi", disse o cavaleiro em entrevista à Reuters por telefone.

Na infância no Mato Grosso do Sul, onde sua família mora até hoje, Clementino trabalhava em fazendas. Precisava ajudar a mãe, após a morte do pai.

Aos 18 anos, se mudou para o interior de São Paulo e começou a montar também em cavalos, apoiado por seu patrão, o empresário Victor Oliva, ex-marido da jogadora de basquete Hortência.

"Em 2002, fiz a primeira prova de equitação e ganhei. Aí comecei a investir em cursos e desenvolver a carreira", disse o cavaleiro, explicando que era patrocinado por Oliva.

Depois de algumas competições em rodeios no interior paulista, o sonho de virar peão famoso foi interrompido pela mulher, que achava a aventura perigosa demais.

Ele começou, então, a se dedicar somente à equitação. Montando Nilo V.O., de propriedade de Oliva, Clementino ganhou provas e há três anos percebeu que o cavalo "tinha jeito para o adestramento".   Continuação...

 
<p>Quando crian&ccedil;a, o sonho de Rog&eacute;rio Clementino (foto) era ser pe&atilde;o de rodeio, mas ap&oacute;s algumas provas acabou se achando em outra montaria. Aos 26 anos, &eacute; o primeiro cavaleiro negro na hist&oacute;ria a se classificar para os Jogos Ol&iacute;mpicos na prova de adestramento. Photo by $Byline$</p>