Cidade que sediará vela na Olimpíada pede ajuda contra algas

domingo, 29 de junho de 2008 13:19 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A cidade de Qingdao, uma das sedes olímpicas chinesas, está pedindo ajuda a portos próximos para conter a invasão de algas que cobriram boa parte de seu litoral a 40 dias da abertura dos Jogos Olímpicos.

Qingdao, que receberá os eventos de vela, pediu ajuda às cidades litorâneas próximas para limpar o estrago, e já conseguiu o apoio de 10 mil cidadãos e militares, e mais de mil barcos para limpar as baías da cidade-resort.

O fenômeno das algas acontece regularmente no litoral de Qingdao, que é um ex-porto de concessão alemã para onde os chineses vão no verão para nadar em águas relativamente limpas.

As autoridades já retiraram 100 mil toneladas de algas, das águas e das margens da cidade, informou a Agência Xinhua, citando autoridades locais que soltaram um comunicado neste domingo.

"Nós avisamos a todas as pessoas envolvidas nessa campanha de limpeza de que a prioridade deve ser dada aos locais de competição olímpica e nós esperamos eliminar todas essas algas antes de 15 de julho", afirmou Yuan Zhiping, do Comitê de Vela Olímpica de Qingdao, segundo informaões da Agência Xinhua.

Mais de 32 por cento do mar que será usado pelas provas olímpicas foi coberto por algas, que também atingiram as áreas de treinamento e bloquearam algumas rotas, afirmou a Xinhua, acrescentando que representantes de pelo menos 30 países já estão no local tentando treinar.

"O que aconteceu é mais sério do que o aparecimento comum de algas", afirmou um professor de microbiologia da Universidade de Oceano de Qingdao à Reuters por telefone, acrescentando que o serviço de balsas em ilhas próximas foi interrompido por vários dias.

Fotografias tiradas pela mídia local mostraram autoridades e soldados empilhando a alga esponjosa. Uma testemunha informou ter visto caminhões carregados com a alga estacionados em praias locais.

A imprensa local relata que a intensidade do fenômeno foi maior devido à confluência de ventos e correntes após tempestades ocorridas no sul da China.