Fifa abandona regra de rotatividade para sedes da Copa do Mundo

segunda-feira, 29 de outubro de 2007 12:03 BRST
 

Por Mark Ledsom

ZURIQUE (Reuters) - O Comitê Executivo da Fifa aprovou por unanimidade o fim da política de rotatividade entre as seis confederações continentais para sediar as Copas do Mundo.

O vice-presidente do comitê, Chung Mong-joon, afirmou a repórteres nesta segunda-feira que a rotação de continentes deixará de vigorar a partir da Copa de 2018.

Segundo Chung, todos os países poderão se candidatar para sediar o evento esportivo, contanto que não pertençam a nenhuma das confederações que organizaram os dois eventos anteriores.

Para a Copa de 2018, a regra impedirá a candidatura de países da África e da América do Sul.

A África do Sul será a primeira beneficiária da breve política de rotatividade e receberá a Copa do Mundo de 2010.

O Brasil é o único candidato para a edição de 2014 do evento esportivo na América do Sul e deve ter sua condição de sede da Copa confirmada pelo Comitê Executivo na terça-feira.

O conceito de rotatividade era esperado para receber forte apoio de Jack Warner, vice-presidente da Fifa vindo de Trinidad e Tobago, e do membro norte-americano do quadro executivo, Chuck Blazer.

Warner e Blazer são o presidente e o secretário-geral da Concacaf, confederação da qual sairia a sede da Copa do Mundo de 2018 caso a regra da rotatividade fosse válida.

Chung, no entanto, afirmou que a decisão de abrir mão de tal política foi unânime. Essa decisão deve ser anunciada oficialmente em uma entrevista coletiva a ser realizada ainda na segunda-feira.

 
<p>Equipe de TV trabalha do lado de fora do pr&eacute;dio da Fifa antes de entrevista coletiva, nesta segunda-feira, em Zurique. Photo by Michael Buholzer</p>