ENTREVISTA-Mike Tyson mostra seu lado amável na África

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008 12:21 BRST
 

Por Serena Chaudhry

JOHANESBURGO (Reuters) - O ex-campeão mundial de boxe dos peso-pesados Mike Tyson, que já foi considerado "O Homem Mais Malvado do Planeta", não quer se envolver em nenhuma confusão em sua primeira visita à África.

Tyson, cuja carreira foi marcada por controvérsias dentro e fora dos ringues, incluindo uma passagem pela cadeia por estupro e a infame mordida na orelha de Evander Holyfield em combate pelo título mundial, garante que está maduro.

"Eu gostaria de ir a qualquer lugar onde não haja nenhuma guerra", disse ele à Reuters em entrevista. "Eu adoraria ir ao Quênia, mas neste momento eles estão vivendo uma guerra civil."

O Quênia vive intensos conflitos desde a eleição de 27 de dezembro, que causou diversos confrontos étnicos e tribais com mais de 800 mortos, mas não se trata de uma guerra civil.

Tyson está em visita à África do Sul para ajudar a levantar fundos para uma instituição de caridade infantil em um banquete de gala, que terá ainda a presença de uma das mais controversas figuras sul-africana, Jacob Zuma.

Zuma, líder do partido do governo sul-africano ANC, também teve problemas com a lei. Ele foi acusado de estupro em 2006 e em agosto será julgado por tráfico de armas, lavagem de dinheiro e extorsão.

As notícias de que Zuma poderia receber Tyson despertaram raivam em alguns sul-africanos. Mas o boxeador explicou que não é mais um "bad boy" e não está interessado em boxe, apesar de ter recebido o título de "Iron Mike" (Mike de Aço) no ringue.

O norte-americano, entretanto, ainda segue lutando contra seus próprios demônios.   Continuação...

 
<p>Ex-campe&atilde;o mundial de boxe Mike Tyson concende entrevista coletiva em Johanesburgo, na &Aacute;frica do Sul, nesta quarta-feira. Photo by Mike Hutchings</p>