Fifa muda estatuto para dificultar troca de nacionalidade

sexta-feira, 30 de maio de 2008 09:45 BRT
 

SYDNEY (Reuters) - A Fifa adotou nesta sexta-feira medidas mais rígidas para dificultar a troca de nacionalidade de jogadores e acabar com as seleções que abusam do atual sistema.

O Congresso da Fifa apoio quase que integralmente a proposta de emenda a seu próprio estatuto que regulamente a permissão para jogadores defenderem seleções de outros países que não o seu.

O sistema anterior permitia que jogadores que nunca haviam jogado pela seleção do país de origem pudessem defender outra nação caso morasse no novo país por pelo menos dois anos, ou tivesse pais ou avós que nasceram lá.

Entretanto, a Fifa decidiu na sexta-feira ampliar o período de vivência em outro país para cinco anos, como parte do projeto do presidente da entidade, Joseph Blatter, de reduzir o número de jogadores naturalizados no esporte.

A Fifa também alterou as regras sobre rebaixamento e promoção de clubes, proibindo a prática em alguns países de se vender vagas em divisões superiores.

 
<p>Presidente da Fifa, Joseph Blatter, durante Congresso da entidade em Sydney, nesta sexta-feira. Photo by Will Burgess</p>