Chefão da Ferrari diz que Cingapura foi "humilhação" para F1

terça-feira, 30 de setembro de 2008 10:23 BRT
 

MILÃO (Reuters) - O presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, criticou o GP de Cingapura, realizado no domingo, e disse que a Fórmula 1 está sendo humilhada pelo uso do safety car.

Em geral, torcedores, participantes e dirigentes, como o empresário Bernie Ecclestone, se empolgaram com o primeiro GP noturno da história da categoria, mas para a Ferrari foi uma noite para esquecer.

O brasileiro Felipe Massa, que luta pelo título, teve sua corrida arruinada por um erro no reabastecimento, e seu colega Kimi Raikkonen bateu quase no final.

"Quando corremos em pistas que deveriam ser usadas para um circo, qualquer coisa pode acontecer, inclusive o espetáculo do safety car", disse Montezemolo em entrevista publicada na terça-feira pelo jornal Gazzetta dello Sport.

"Tudo isso é humilhante para a Fórmula 1, e é um aspecto sobre o qual quero conversar com as outras equipes nas próximas semanas", afirmou.

Houve duas entradas do safety car em Cingapura. A primeira delas alterou totalmente o panorama da corrida e contribuiu com a surpreendente vitória de Fernando Alonso, da Renault.

Montezemolo, eleito neste mês como o primeiro presidente da Associação de Equipes da Fórmula 1, disse antes da prova que os circuitos de rua, com poucos pontos de ultrapassagem, não representam um avanço na direção certa.

Como a Ferrari não pontuou em Cingapura, Lewis Hamilton, da McLaren, que chegou em terceiro, conseguiu ampliar sua liderança sobre Massa para 7 pontos no campeonato, faltando agora três GPs para o fim da temporada. Para o britânico, basta apenas chegar em segundo em todos para ser campeão.

O finlandês Raikkonen está fora da disputa, mas Montezemolo disse permanecer confiante. "Temos a melhor Ferrari, Massa é o melhor. Espero que Raikkonen demonstre que é o campeão do mundo nas próximas corridas, para ajudar Massa, para correr pelo bem da equipe e para terminar na frente das McLarens."

O dirigente também manifestou apoio ao mecânico que errou na sinalização do pitstop, induzindo Massa a largar com a mangueira de gasolina pendurada no carro.

"Temos mecânicos extraordinários, que em outras ocasiões mudaram os resultados a nosso favor. Precisamos ficar próximos entre nós, porque a Ferrari sempre é campeã mundial e ainda está correndo para vencer", concluiu.

 
<p>O presidenrte da Ferrari, Luca di Montezemolo, disse que Cingapura foi uma "humilha&ccedil;&atilde;o" para F1. Em geral, torcedores, participantes e dirigentes se empolgaram com o primeiro GP noturno da hist&oacute;ria, mas para a Ferrari foi uma noite para ser esquecida. REUTERS/Arnd Wiegmann</p>