7 de Outubro de 2008 / às 18:12 / 9 anos atrás

Brasil sediará penúltima prova da Fórmula 1 em 2009

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - O Brasil não receberá a última corrida da temporada da Fórmula 1 no próximo ano, e a América do Norte não terá nenhuma prova do campeonato depois que o Grande Prêmio do Canadá foi retirado do novo calendário da competição, divulgado nesta terça-feira pela entidade que comanda o esporte.

A última prova da temporada 2009 acontecerá em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, que recebe pela primeira vez uma corrida da F1.

Nenhuma razão foi dada pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) para a retirada da América do Norte do calendário, mas a corrida no circuito Gilles Villeneuve, em Montreal, admirada pelas equipes e pelos patrocinadores, era antes promovida com o GP dos Estados Unidos em Indianápolis, que foi cortado deste ano.

O calendário com 18 corridas, divulgado depois de um encontro do conselho mundial de esporte motor da FIA em Paris, terá novamente um recesso de três semanas entre julho e agosto, e o GP da Turquia, que acontecia nesse período, foi transferido para o período antes ocupado pela prova do Canadá, no dia 7 de junho.

Em vez de uma temporada com o recorde de 19 provas, o campeonato continuará tendo 18.

O GP da Bélgica em Spa Francorchamps foi adiantado de setembro para o dia 30 de agosto, um fim de semana depois do GP da Europa, em Valência.

O GP da Itália também foi antecipado, e ficará com a data original da Bélgica, no dia 13 de setembro.

Todas as outras datas continuaram iguais, com a abertura da temporada na Austrália, no dia 29 de março.

CORTE DE CUSTOS

A FIA também anunciou que seu presidente Max Mosley recebeu autorização para negociar com a Associação das Equipes da Fórmula 1 para a introdução de "medidas radicais para conseguir uma redução substancial de custos para campeonato em 2010".

A FIA afirmou que se não houver acordo com a associação, irá forçar as medidas necessárias para atingir a meta.

O conselho mundial de esporte motor também concordou em permitir que as equipes de Fórmula 1 igualem os desempenhos de seus motores para 2009, adiando a introdução das medidas de corte de custos para 2010.

Marco Piccinini, o vice-presidente da FIA para o esporte, que representou a federação nesse ano no GP de Mônaco depois que Mosley se envolveu em um escândalo sexual, irá renunciar ao cargo um ano antes do previsto.

A FIA afirmou que um sucessor será eleito.

Mosley, que ganhou um voto de confiança em abril para ficar no cargo, disse que deixará a função em outubro do ano que vem, quando seu mandato termina.

Entretanto, ele disse no mês passado que estava sendo pressionado por membros para continuar no cargo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below