Massa não tira proveito do bom desempenho de Raikkonen

sábado, 11 de outubro de 2008 14:40 BRT
 

Por Alastair Himmer

FUJI (Reuters) - Kimi Raikkonen deixou de lado seus fracos desempenhos e colocou-se na primeira fila do Grande Prêmio do Japão de domingo, enquanto seu companheiro de Ferrari e que briga pelo título, Felipe Massa, deu um passo atrás.

Atual campeão mundial, Raikkonen foi o segundo mais rápido no treino oficial deste sábado, atrás apenas do líder do campeonato Lewis Hamilton, da McLaren, mas Massa se classificou apenas na quinta colocação.

Enquanto o "homem de gelo" voltou à sua antiga forma, ocupando uma posição na primeira fila desde junho, as esperanças de Massa foram se dissipando ao ver Heikki Kovalainen, da McLaren, e Fernando Alonso, da Renault, serem mais rápidos que ele.

Massa está sete pontos atrás de Hamilton e restando apenas três corridas para o final da temporada.

"É bom estar de volta," disse Raikkonen. "Eu não tenho muito a perder. Farei o melhor que puder pelo time."

"Eu ainda não estou onde quero estar, tem sido uma luta durante todo o tempo com o carro, mas aos poucos estamos chegando onde queremos estar no final."

Raikkonen, que tirou uma diferença de 17 pontos para conquistar o título no ano passado com um apenas à frente de Hamilton, está 27 pontos atrás do britânico nesta temporada e efetivamente fora da briga pelo campeonato.

O finlandês voador recebeu ordens dos chefes da Ferrari para melhorar seu desempenho depois de uma série de quatro corridas sem marcar pontos e ajudar Massa e a Ferrari na busca pelo seu 16 título de construtores.   Continuação...

 
<p>O piloto da Ferrari, Felipe Massa, do Brasil, se prepara para sess&atilde;o de treino antes do Grande Pr&ecirc;mio do Jap&atilde;o de F&oacute;rmula 1, no dia 11 de outubro. Kimi Raikkonen deixou de lado seus fracos desempenhos e colocou-se na primeira fila do Grande Pr&ecirc;mio do Jap&atilde;o de domingo, enquanto seu companheiro de Ferrari e que briga pelo t&iacute;tulo, Felipe Massa, deu um passo atr&aacute;s. REUTERS/Issei Kato (JAPAN)</p>