Seleção procura explicações para seca de gols em casa

quinta-feira, 16 de outubro de 2008 01:53 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO (Reuters) - Robinho reconheceu ter feito uma de suas piores partidas pela seleção. Kaká culpou a viagem cansativa desde a Venezuela. E Jô já estava satisfeito por ter estreado como camisa 9 da seleção. Cada um de sua forma, os jogadores da seleção brasileira procuraram uma resposta para a falta de gols jogando em casa.

Há três jogos sem fazer um gol como mandante, a seleção foi vaiada desde o primeiro tempo pela torcida que compareceu em bom número ao Maracanã e saiu frustrada com o empate de 0 x 0 com a Colômbia, nesta quarta-feira, um mês depois do mesmo resultado contra a Bolívia, também no Rio de Janeiro. Antes, o time já tinha passado em branco contra a Argentina, no Mineirão.

"Não sei exatamente o motivo, mas o nosso time hoje sentiu o cansaço, faltou velocidade para criar as jogadas", disse Kaká a repórteres depois do jogo, em que a Colômbia foi o time que esteve mais perto de balançar as redes.

"Não gosto de ficar justificando, mas a viagem pesou. Foram vários motivos, mas o cansaço com certeza foi um deles", acrescentou o meia do Milan.

Um dos jogadores mais abatidos com seu desempenho individual e da seleção como um todo no Maracanã foi o atacante Robinho, substituído no segundo tempo devido a uma pancada recebida durante a partida.

"Particularmente eu não joguei bem, fui mal, não dei nenhum drible, chutei só uma bola no gol. Não fui o jogador que eu espero ser", afirmou Robinho, um dos grandes destaques do jogo anterior do Brasil no Maracanã, a goleada de 5 x 0 sobre o Equador, no ano passado, quando fez um drible que mereceu uma exposição de fotos no estádio.

"Está muito longe do que nós podemos ser, do futebol brasileiro, que sempre teve um poder ofensivo muito forte. Temos que trabalhar para encontrar uma forma de voltar a fazer os gols diante da nossa torcida", acrescentou.

Em contraste, o jovem atacante Jô, que ganhou sua primeira oportunidade como titular devido à suspensão de Adriano, festejou só por estar na equipe.

"Estou muito feliz, poderia estar mais feliz se tivesse marcado um gol, mas a seleção colombiana soube marcar muito bem num gramado grande como o do Maracanã", afirmou.

 
<p>Kak&aacute; tenta fugir da marca&ccedil;&atilde;o do colombiano Bedoya em jogo entre as equipes, quarta-feira, no Maracan&atilde;. A partida acabou 0x0. REUTERS/Sergio Moraes</p>