FIA e equipes da F1 entram em acordo para cortar custos em 2009

terça-feira, 21 de outubro de 2008 18:00 BRST
 

LONDRES (Reuters) - Equipes da Fórmula 1 e a entidade que comanda o esporte anunciaram nesta terça-feira que entraram em acordo para promover um corte "significativo" de custos para as temporadas de 2009 e 2010.

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) disse em uma nota conjunta com a Associação das Equipes de Fórmula 1 (Fota), após um encontro em Genebra, que as equipes estavam "trabalhando urgentemente nas propostas para 2010 e para depois".

No entanto, nenhum detalhe sobre as medidas estava imediatamente disponível.

"Foi um encontro muito construtivo", disse o porta-voz da FIA. "Nós recebemos as propostas das equipes e queremos muito levar as negociações adiante".

As equipes, representadas em Genebra pelo presidente da Ferrari e da Fota, Luca di Montezemolo, e pelo presidente da Toyota, John Howett, se encontrarão novamente na semana que vem no último Grande Prêmio da temporada, no Brasil, antes de outras negociações com o presidente da FIA, Max Mosley.

Mosley disse neste mês que, mesmo sem a crise global do crédito, o esporte se tornou insustentável no nível atual de custos, e enfrentará sérios problemas se não houver uma contenção de gastos até 2010.

A FIA anunciou no GP da China, no último final de semana, que pretendia mudar suas regras para forçar as equipes a utilizarem um motor padrão a partir de 2010, anunciando uma proposta para o contrato.

A declaração, vista por muitos como uma posição de negociação anterior às conversas de terça-feira, encontrou pouco apoio entre as montadoras de carros, que dominam o esporte e prefeririam outras medidas como a extensão da vida dos motores para duas ou três corridas.

O motor padrão, que poderá ser construído ou por um fornecedor terceirizado ou pelas próprias montadoras, era um dos principais assuntos a serem discutidos no encontro.