Ferrari foi mal informada sobre corte de custos na F1, diz FIA

terça-feira, 28 de outubro de 2008 16:52 BRST
 

Por Mark Meadows

MILÃO (Reuters) - O conselho da Ferrari não estava bem informado quando ameaçou se retirar da Fórmula 1 caso fosse adotado um modelo padrão de motores para todas as equipes a partir de 2010, afirmou a Federação Internacional do Automobilismo (FIA) nesta terça-feira.

A Ferrari afirmou na segunda-feira que iria revisar sua participação na Fórmula 1 se os planos de adotar um modelo único de motores fossem levados adiante, pois "eles iriam tirar a razão de ser" do esporte, onde a competição tecnológica é chave.

A Toyota também sugeriu que poderia considerar uma retirada da categoria se a proposta fosse adotada. Nesta terça-feira, a FIA tentou acalmar os ânimos.

"Parece que o conselho da Ferrari não estava bem informado", disse a entidade em nota.

"A FIA ofereceu três opções às equipes, uma delas é o chamado motor padrão, e em outra as montadoras podem garantir o fornecimento de kits com motor e caixa de câmbio para as equipes independentes por menos de cinco milhões de euros (6,26 milhões de dólares) por temporada", acrescentou o comunicado.

O presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, que também dirige a Associação das Equipes da Fórmula 1 (Fota), recentemente se encontrou com o presidente da FIA, Max Mosley, para discutir as medidas de corte de custos, evidenciadas pela crise financeira global.

"Agora as montadoras terão de concordar com uma das três opções da FIA ou produzir propostas concretas para reduzir os custos para um nível sustentável", afirmou a nota da FIA.

"Se nenhum dos dois acontecer, a FIA tomará todas as medidas necessárias para preservar um campeonato mundial com credibilidade para pilotos e construtores".   Continuação...