30 de Outubro de 2008 / às 18:47 / em 9 anos

Hamilton espera disputa limpa pelo título em Interlagos

<p>O piloto Lewis Hamilton, da McLaren, no pit do circuito de Interlagos em S&atilde;o Paulo. 30 de outubro.Bruno Domingos (BRAZIL)</p>

Por Alan Baldwin

SÃO PAULO (Reuters) - O piloto da McLaren Lewis Hamilton disse não temer que sua campanha para se tornar o mais jovem campeão da Fórmula 1 possa ser arruinada por estratégias desleais no Grande Prêmio do Brasil, no domingo, a última corrida da temporada.

"Estamos aqui para correr, acredito que todo piloto aqui seja um grande esportista, e somos todos muito competitivos", disse o britânico, de 23 anos, em uma entrevista coletiva no circuito de Interlagos, nesta quinta-feira.

"Então eu terei que confiar e acreditar em todos, e esperar uma corrida justa e correta. É assim o automobilismo, e é por isso que corro, isso é o que o faz tão emocionante", acrescentou.

Hamilton tem sete pontos de vantagem sobre o brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, o que significa que o britânico precisa apenas chegar em quinto para ser campeão.

Os dois colidiram na corrida do Japão neste mês, e Hamilton não pontuou, sendo penalizado por uma largada irregular e tendo que recomeçar da última posição após a batida com o brasileiro.

Massa negou ter colidido com seu rival de propósito em Fuji: "Eu tenho uma boa relação com Lewis, e não faria nada para destruir alguém de propósito", disse o brasileiro.

Entretanto, a Fórmula 1 já esteve mergulhada em polêmicas em corridas de decisão de títulos. Notavelmente em 1997, na disputa entre Michael Schumacher e o canadense Jacques Villeneuve, e em 1989 e 1990, entre Ayrton Senna e Alain Prost.

SEM AJUDA

O brasileiro Rubens Barrichello, cuja equipe Honda esteve tão mal na temporada que ele provavelmente não terá condição de ajudar seu compatriota, previu uma disputa limpa e pediu que a torcida local mostre seu senso de fair play.

"Eu acho que não poderei ajudá-lo (Massa) muito, infelizmente", disse o ex-piloto da Ferrari. "Eu gostaria muito de receber alguma ajuda dele. Tudo o que peço ao pessoal que virá aqui torcer pelo Felipe, é que respeitem Lewis", acrescentou.

"Imaginem se eu fizesse algo contra Lewis -- será que Felipe ficaria feliz com isso? Ele seria o campeão merecido? Eu acho que não", acrescentou Barrichello.

"Acho que eles lutaram o campeonato inteiro por conta própria e é assim que tem que ser. Eu não entraria no caminho".

Enquanto Massa deve mirar a vitória e torcer pelo melhor, Hamilton está sob pressão depois de não ter conseguido no ano passado se tornar o primeiro campeão da F1 em uma temporada de estréia, apesar de ter chegado à prova final como favorito.

O britânico não pontuou na China e depois deixou que o finlandês da Ferrari Kimi Raikkonen recuperasse uma vantagem de sete pontos e vencesse o título em Interlagos. Hamilton jurou não deixar isso acontecer novamente.

"No ano passado, nós viemos aqui depois de termos tido uma corrida ruim, então foi um pouco agitado e a pressão da última corrida estava sobre mim, e talvez ela tenha me pegado", disse Hamilton, que dessa vez chegou em São Paulo depois de uma vitória convincente em Xangai.

"Mas neste ano eu sinto que é apenas mais uma corrida. Estamos vindo de uma grande corrida na China, e sei que aqui seremos tão fortes quanto fomos, se não mais".

"Me parece positivo e, novamente, minha abordagem é a mesma da corrida passada", acrescentou o britânico, que pode ser o primeiro campeão pela McLaren desde Mika Hakkinen, em 1999, e o primeiro de seu país desde Damon Hill, em 1996.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below