1 de Novembro de 2008 / às 21:12 / 9 anos atrás

Alonso e Barrichello minimizam vantagem de Massa no grid

<p>Bicampe&atilde;o mundial Fernando Alonso, da Renault, deixa o carro ap&oacute;s treino classifcat&oacute;rio para o GP do Brasil de F1. REUTERS/Paulo Whitaker (</p>

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO (Reuters) - A primeira posição de Felipe Massa e a quarta de Lewis Hamilton no grid de largada para o Grande Prêmio do Brasil representam pouca vantagem para o brasileiro na disputa pelo título da Fórmula 1, segundo Rubens Barrichello e o bicampeão Fernando Alonso.

Para Barrichello, o McLaren do britânico está com mais combustível, enquanto Alonso disse que os dois conseguiram o que queriam por enquanto.

“Os dois tiveram o que queriam. Mas na verdade nenhum dos dois importa para mim. Hamilton conseguiu o queria: está entre os quatro primeiros ao lado de seu companheiro, o que é uma segurança, e Massa conseguiu sair na pole para tentar ganhar a corrida”, afirmou Alonso após o treino classificatório de sábado no circuito de Interlagos, mostrando irritação com as perguntas sobre os dois candidatos ao título.

“Os dois podem dormir tranquilos, porque estão bem posicionados”, completou o espanhol, duas vezes campeão no Brasil com a Renault, em 2005 e 2006.

Massa fez o melhor tempo no treino classificatório, seguido por Jarno Trulli, da Toyota, e Kimi Raikkonen, da Ferrari. Hamilton ficou em quarto, na frente de seu companheiro Heikki Kovalainen, e de Alonso, que largará em sexto.

“Vou tentar fazer o máximo na corrida amanhã, mas milagres não se pode fazer”, disse Alonso sobre suas chances na prova.

Rubens Barrichello, na 15a posição do grid com a equipe Honda, vê Hamilton com mais chances de levar o troféu, já que ele tem sete pontos de vantagem sobre o brasileiro na classificação geral.

“Depende muito da evolução do carro e da estratégia. Na minha opinião é óbvio que a McLaren está cheia de gasolina. Agora (no treino de sábado) vimos uma situação com o Felipe me parecendo mais leve”, declarou o brasileiro.

“O show vai ser especial, foi tudo aquilo que o público queria. O Hamilton não tão perto e o Felipe andando muito bem na ponta.”

Vice-campeão mundial em 2002 e 2004 com a Ferrari, Barrichello foi saudado por torcedores em São Paulo, enquanto alguns mostravam cartazes pedindo que ele batesse em Hamilton para favorecer Massa.

“É sempre bom ver o povo gritando seu nome, te empurrando. Tem uns maldosos que acabam gritando ‘bate nele’, mas fora isso existe a energia do público que está torcendo mesmo”, disse Barrichello, que tem o futuro na F1 ainda incerto.

Para a corrida de domingo, o 270o GP do brasileiro, que é o recordista nesse quesito, o piloto da Honda torce pela chuva para ter chance de marcar pontos.

“Vai ter que acontecer muita coisa durante a prova para conseguir ponto com nosso carrinho”, afirmou ele, mais uma vez insatisfeito com seu Honda.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below