Nadal promete se esforçar em tratamento por final da Copa Davis

quarta-feira, 5 de novembro de 2008 12:36 BRST
 

Por Iain Rogers

MADRI (Reuters) - O tenista número um do mundo, Rafael Nadal, prometeu fazer tudo o que for possível para ficar em forma a tempo de disputar a final da Copa Davis, em que se enfrentam Espanha e Argentina, dentro de apenas duas semanas, na cidade portenha de Mar del Plata.

Nadal está com uma tendinite no joelho direito e viu-se obrigado a desistir da Masters Cup de Xangai, que encerra a temporada da ATP deste ano e que se inicia no domingo. Nadal tampouco conseguiu enfrentar Nikolay Davydenko, na semana passada, pelas quartas-de-final do Masters de Paris.

"Eu farei tudo o que for possível para estar na Copa Davis, mas a minha participação depende do progresso que eu tiver", afirmou à rádio Marca, na quarta-feira, o atual campeão do Aberto da França e de Wimbledon.

"Se eu estiver apenas com 40 por cento da minha condição física, então não participarei", acrescentou. "Tenho alguns dias para me recuperar e vou tentar então treinar um pouco."

A Federação Espanhola de Tênis disse na terça-feira que Nadal precisa de uma semana de descanso e tratamento. O tenista afirmou que faria um teste final no começo da próxima semana a fim de saber se conseguirá representar a Espanha na final do torneio por equipes, de 21 a 23 de novembro.

Nadal voltou a criticar o intenso calendário da Associação de Tenistas Profissionais (ATP), descrevendo-o como "muito mal organizado."

"É muito difícil estar sempre no seu melhor com um calendário como esse", afirmou. "Eu não disse 'não' a Xangai, foi o meu joelho. Ir para lá representaria um esforço grande demais."

Nadal será substituído na Masters Cup pelo francês Gilles Simon, que jogará contra o número dois do mundo, Roger Federer, na primeira partida do suíço.

 
<p>O tenista n&uacute;mero um do mundo, Rafael Nadal, prometeu fazer tudo o que for poss&iacute;vel para ficar em forma a tempo de disputar a final da Copa Davis, em que se enfrentam Espanha e Argentina, dentro de apenas duas semanas, na cidade portenha de Mar del Plata. REUTERS/Jacky Naegelen</p>