ENTREVISTA-Nelsinho aprende com erros em 1o ano "difícil" na F1

segunda-feira, 10 de novembro de 2008 15:06 BRST
 

Por N.Ananthanarayanan

NOVA DÉLHI, Índia (Reuters) - Nelsinho Piquet deseja ficar entre os seis primeiros colocados no Mundial de Fórmula 1 de 2009, depois de ter renovado seu contrato com a Renault para o próximo ano, apesar de sua difícil temporada de estréia na categoria.

O piloto brasileiro, de 23 anos, ficou contente com o fato de a Renault ter renovado seu contrato e espera que a melhora de desempenho obtida pelo carro no final da temporada permita que a equipe comece bem o campeonato do próximo ano.

Nelsinho conseguiu um pódio em 2008, quando ficou em segundo lugar na Alemanha, antes de terminar o ano em 12o lugar na classificação geral de pilotos. O brasileiro pontuou em apenas cinco das 18 corridas e não conseguiu chegar ao final de nove provas.

Seu companheiro de equipe, o espanhol bicampeão mundial Fernando Alonso, terminou a temporada em sexto lugar, tendo vencido duas corridas seguidas na segunda metade do ano.

"Essa não foi a temporada com a qual sonhei," afirmou Nelsinho à Reuters, no domingo. "Eu tive muitos altos e baixos, além de muitos problemas. Mas aprendi bastante."

Filho do tricampeão mundial Nelson Piquet, o brasileiro não sabia se continuaria na Renault até a equipe anunciar, na quarta-feira, a permanência dele por mais uma temporada. Alonso teve seu contrato renovado até 2010.

"Eu estava muito verde no começo do campeonato", afirmou o piloto, em entrevista concedida durante um evento realizado pela Renault em Nova Délhi. "Fiquei muito contente quando chegamos a um acordo."

O fato de os carros da Renault só terem ficado competitivos depois da metade da temporada aumentou ainda mais o desafio, disse Piquet.   Continuação...

 
<p>Nelsinho Piquet deseja ficar entre os seis primeiros colocados no Mundial de F&oacute;rmula 1 de 2009, depois de ter renovado seu contrato com a Renault para o pr&oacute;ximo ano, apesar de sua dif&iacute;cil temporada de estr&eacute;ia na categoria. REUTERS/Bazuki Muhammad</p>