Murray bate Simon e avança para semi em Xangai; Roddick abandona

quarta-feira, 12 de novembro de 2008 13:15 BRST
 

XANGAI (Reuters) - O britânico Andy Murray garantiu sua vaga nas semifinais da Masters Cup de tênis ao vencer o francês Gilles Simon por 6-4 e 6-2, nesta quarta-feira.

O tenista de 21 anos, número quatro do mundo, teve de impedir uma tentativa de recuperação de Simon na metade da partida para juntar-se ao sérvio Novak Djokovic na próxima fase do torneio, que encerra a temporada da ATP com a presença dos melhores do ano.

Murray já havia vencido na estréia em Xangai o norte-americano Andy Roddick, enquanto Simon, que só entrou na Masters devido à desistência do espanhol Rafael Nadal, estreou derrotando o suíço Roger Federer.

Federer manteve viva sua esperança de conquistar um quinto título da Masters Cup ao vencer, também nesta quarta-feira, o tcheco Radek Stepanek, número 27 do mundo que entrou como substituto para o norte-americano Andy Roddick, que abandonou o torneio com uma lesão.

O suíço atual campeão começou a partida conseguindo uma quebra de serviço logo no primeiro game, mas pareceu estar bem abaixo de seu auge e acabou dando chances para o rival se recuperar.

O atual número dois do mundo, que abandonou o Masters de Paris com dores nas costas na semana passada, precisou de um tiebreak para levar o primeiro set e teve seu serviço quebrado logo no começo do segundo. Ele finalmente conseguiu a vitória quando Stepanek cometeu uma dupla-falta.

Mais cedo, o número seis do mundo Roddick foi forçado a deixar a Masters Cup por conta de uma lesão no tornozelo direito. O tenista norte-americano, de 26 anos, deveria jogar contra Federer.

"Isso aconteceu durante um aquecimento ontem", disse Roddick a jornalistas. "Eu realmente não posso me mover rápido. É definitivamente difícil tentar bater Roger sem poder se mover muito".

(Reportagem de Nick Mulvenney)

 
<p>Brit&acirc;nico Andy Murray devolve uma bola em partida da Masters Cup contra o franc&ecirc;s Gilles Simon, em Xangai, nesta quarta-feira. REUTERS/Aly Song</p>