Racismo é raro na Espanha, diz campanha para Madri-2016

quinta-feira, 13 de novembro de 2008 17:36 BRST
 

MADRI (Reuters) - Madri é um lugar tolerante que recebe bem os estrangeiros e onde os incidentes de racismo são raros, disseram autoridades que estão promovendo a candidatura da cidade para os Jogos Olímpicos de 2016 nesta quinta-feira.

A capital espanhola está na disputa pelo direito de sediar os Jogos de 2016 com as cidades do Rio de Janeiro, Chicago e Tóquio. O vencedor será escolhido pelo Comitê Olímpico Internacional em outubro do ano que vem.

Incidentes isolados de racismo em eventos esportivos na Espanha mancharam a imagem do país nos últimos anos, levando a temores de que as chances da cidade podem ser ameaçadas.

"Madri é uma cidade tolerante, mesmo se for verdade que houve alguns incidentes provocados por uma minoria que de maneira alguma representa a atitude geral dos residentes da cidade", disse a chefe da candidatura, Mercedes Coghen, na quinta-feira em um evento na cidade.

Um vídeo curto promovento a candidatura olímpica, com mensagens de apoio de jogadores de futebol como o zagueiro brasileiro naturalizado português Pepe e o defensor tcheco Tomas Ujfalusi, do Atlético de Madri, também foi apresentado.

"O esporte é uma arma no arsenal da tolerância", disse Coghen, apontando que uma série de iniciativas educacionais foram lançadas e o filme seria exibido nas escolas da cidade.

A decisão de Madri de abordar o assunto da integração e da tolerância segue um incidente deste mês, quando a imprensa reportou que o atacante camaronês Samuel Eto'o, do Barcelona, foi vítima de cantos racistas da torcida em um partida do Campeonato Espanhol em Málaga.

Em outro incidente no início da temporada, o equatoriano do Getafe Joffre Guerron sofreu abusos raciais da torcida durante uma partida contra o Sporting Gijon, de acordo com a súmula do árbitro do jogo .

Separadamente, mensagens de ódio tendo como alvo o campeão mundial de Fórmula 1 Lewis Hamilton foram postadas em um site espanhol.

Hamilton, o primeiro piloto negro da Fórmula 1, também sofreu insultos raciais de torcedores durante testes em Barcelona em fevereiro. Depois do incidente, a FIA lançou uma campanha contra o racismo.

(Reportagem de Iain Rogers)