Britânicos prometem manter investimento por Copa de 2018

quarta-feira, 19 de novembro de 2008 14:10 BRST
 

LONDRES (Reuters) - A Grã-Bretanha não deixará que a crise financeira prejudique sua oferta para sediar a Copa do Mundo de 2018, disse o ex-ministro do Esporte Richard Caborn.

Caborn, emissário do governo britânico para a proposta pelo Mundial, rejeitou os comentários da ministra britânica dos Jogos Olímpicos de Londres 2012, Tessa Jowell, de que a Grã-Bretanha não deveria mais fazer sua oferta para 2018 em meio à desaceleração econômica global.

"Eu acredito que se deve ter uma visão a longo prazo das coisas", disse Caborn em Londres. "Nós começamos em 2001 com uma oferta para os Jogos de 2012. Começamos a falar sobre a Copa, que é em 2018, há dois anos. Se você julgar pelas atuais circunstâncias, você nunca faria qualquer oferta", disse ele nesta terça-feira.

A Grã-Bretanha vai sediar alguns dos maiores eventos esportivos do mundo nos próximos 10 anos, e Caborn disse que os benefícios desta "década do esporte" vão "além de um balanço equilibrado".

"Em 2009 nós temos a Copa do Mundo de críquete, em 2010 o Mundial feminino de rúgbi, 2012 tem a Olimpíada, 2013 estamos concorrendo a Copa do Mundo da Liga de Rúgbi, em 2014 temos os Jogos da Comunidade Britânica na Escócia, 2015 estamos concorrendo a Copa do Mundo da União de Rúgbi e em 2018 estamos na disputa pela Copa do Mundo de futebol", disse ele.

O autor de um relatório sobre como a crise financeira global está afetando o esporte concordou que o investimento é "dinheiro bem gasto".

"A questão fundamental para mim é: este dinheiro deveria ser investido nas Olimpíada ou deveria ser investido em outra coisa?", disse Simon Chadwick, professor especialista em negócio do esporte da Universidade Coventry.

O relatório de Chadwick, Esporte na Crise, sugere que os esportes de maior nível como o Campeonato Inglês de futebol, com presença global e o investimento do Oriente Médio, estariam mais protegidos de uma recessão do que modalidades como arremesso de dardos e badminton.

(Reportagem de Paul Launer)