Sem Nadal como rival, Argentina aposta em ganhar a Copa Davis

quarta-feira, 19 de novembro de 2008 15:01 BRST
 

Por Luis Ampuero

MAR DEL PLATA, Argentina (Reuters) - A ausência por lesão do espanhol Rafael Nadal, tenista número 1 do mundo, deu gás ao sonho da Argentina de conquistar pela primeira vez a Copa Davis de tênis, no fim de semana, no confronto contra a Espanha na cidade de Mar del Plata.

A Argentina, que está na sua terceira final da competição por equipes, preparou um cenário difícil para os espanhóis, ao escolher uma superfície rápida e um estádio coberto onde mais de 10 mil torcedores apoiarão os tenistas da casa e pressionarão os adversários.

"Agora, mais do que nunca, é o momento para a Argentina ganhar a Davis", disse a jornalistas o ex-tenista Guillermo Vilas, homem que na década de 1970 popularizou o esporte no país mas que perdeu o título da Davis para os Estados Unidos em 1981.

"Precisava eleger quatro jogadores e há mais do que isso para jogar a final. No entanto, não devemos subestimar a boa equipe espanhola", destacou ele.

A ausência de Nadal foi um duro golpe para os torcedores, que queriam ver o número 1 do mundo em ação, mas eles logo se animaram com a possibilidade de levantar o tradicional troféu pela primeira vez.

"Eu lamento pelos argentinos que queriam ver Nadal, mas fico feliz porque, para nós, é uma boa notícia porque isso nos dá mais chances de ganhar a Copa", disse o capitão da equipe argentina, Alberto "Luli" Mancini.

O capitão espanhol, Emilio Sánchez Vicário, cansado de responder perguntas sobre a ausência de Nadal, disse que "é preciso olhar para frente e dar tudo de si para jogar o melhor possível".

 
<p>Trabalhador ajusta trof&eacute;u da Copa Davis em est&aacute;dio de Mar del Plata, no dia 19 de novembro. A aus&ecirc;ncia por les&atilde;o do espanhol Rafael Nadal, tenista n&uacute;mero 1 do mundo, deu g&aacute;s ao sonho da Argentina de conquistar pela primeira vez a Copa Davis de t&ecirc;nis, no fim de semana, no confronto contra a Espanha na cidade de Mar del Plata. REUTERS/Marcos Brindicci (ARGENTINA)</p>