General Motors e Tiger Woods encerram contrato publicitário

segunda-feira, 24 de novembro de 2008 16:58 BRST
 

Por Ben Klayman

CHICAGO (Reuters) - A General Motors Corp, que tem alertado que ficará sem liquidez no próximo ano se for socorrida, e o jogador de golfe profissional Tiger Woods anunciaram nesta segunda-feira o encerramento de seu contrato de patrocínio no final deste ano.

A GM e Woods, que se recupera de uma cirurgia de reconstrução do joelho, classificaram a decisão como "mútua e amigável". Foi citado que Woods gostaria de ter mais tempo para passar com seu segundo filho, que deve nascer no início do ano que vem, assim como a necessidade da GM de cortar gastos enquanto lida com a decrescente demanda no mercado norte-americano.

"Tendo em vista as notícias de Washington, essa decisão é o resultado de discussões que começaram no início do ano, e o momento deste acordo com essas outras atividades é puramente uma coincidência", disse Mark LaNeve, vice-presidente de vendas da GM na América do Norte, em nota.

A montadora de Detroit, que investe significativamente no golfe, tem cortado os gastos com marketing em todos os locais de venda, revelando anteriormente cortes de gastos em esportes motorizados, e eliminando propagandas de televisão para o próximo ano durante as transmissões de eventos como as premiações do Oscar e dos Emmy awards, além da final do campeonato de futebol americano, o Super Bowl.

Os termos do acordo não foram revelados, embora o porta-voz da GM Pete Ternes tenha dito que ele termina o contrato de cinco anos da montadora com Woods de maneira antecipada. Woods continuará a dirigir veículos Buick durante o ano de 2009.

Nos últimos nove anos, Woods tem divulgado produtos da GM no mundo tudo, e tem sido bastante associado com a marca Buick nos mercados dos EUA, do Canadá e da China.

Woods, de 32 anos, interrompeu sua temporada em junho para uma cirurgia no joelho depois de vencer quatro dos seis torneios que disputou.

O jogador, que a revista BusinessWeek classificou em outubro como a pessoa mais poderosa na indústria dos esportes, disse que pretende voltar ao golfe em algum momento de 2009, mas que não estará em sua melhor forma até o ano de 2010.