COI vai investigar doping de Montgomery; Brasil pode herdar ouro

terça-feira, 25 de novembro de 2008 10:42 BRST
 

Por Karolos Grohman

ATENAS (Reuters) - O Comitê Olímpico Internacional (COI) decidiu investigar a confissão do ex-velocista norte-americano Tim Montgomery de que usou doping antes de participar da equipe de revezamento 4x100m que conquistou a medalha de ouro na Olimpíada de Sydney, em 2000.

O Brasil, que chegou em segundo lugar na prova, pode herdar o ouro caso o COI decida cassar a medalha conquistada pelos Estados Unidos devido ao possível doping de Montgomery. O bronze naquela prova ficou com Cuba.

Na Olimpíada de Sydney o Brasil não conquistou nenhuma medalha dourada.

Emmanuelle Moreau, porta-voz do COI, disse nesta terça-feira que a entidade examinará o assunto como parte da sua investigação do caso Balco, laboratório que distribuiu esteróides ilegais a inúmeros atletas olímpicos.

"Em 2004, o COI instituiu uma comissão disciplinar com vistas a investigar como o caso poderia ter afetado as competições dos Jogos Olímpicos", disse ela.

Montgomery, ex-recordista mundial dos 100 metros, foi suspenso durante dois anos pelo uso de doping do laboratório Balco. Sua ex-namorada Marion Jones perdeu as cinco medalhas que conquistou em Sydney e foi presa por mentir a investigadores.

Montgomery, de 33 anos, que foi sentenciado a quase nove anos de prisão por porte de heroína e fraude financeira, fez a confissão do uso de doping antes dos Jogos de Sydney à emissora HBO, num programa que deve ir ao ar nesta terça-feira.

O ex-corredor contou à HBO que usou substâncias proibidas em várias ocasiões naquela época. "Antes dos Jogos Olímpicos de 2000 na Austrália eu violei regras", disse ele, segundo transcrição divulgada pela HBO. "Usei testosterona e aí usei HGH (hormônio do crescimento) quatro vezes por mês. Estou sentado sobre uma medalha de ouro que não consegui com a minha própria capacidade."   Continuação...