5 de Dezembro de 2008 / às 14:51 / 9 anos atrás

ENTREVISTA-Honda poderia vencer corridas em 2009, diz Ross Brawn

<p>Chefe da equipe de F1 da Honda, Ross Brawn, na Inglaterra. A Honda poderia vencer corridas na pr&oacute;xima temporada da F&oacute;rmula 1 caso n&atilde;o tivesse decidido sair da categoria nesta sexta-feira, diz Brawn. REUTERS/Stephen Hird</p>

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - A Honda poderia vencer corridas na próxima temporada da Fórmula 1 caso não tivesse decidido sair da categoria nesta sexta-feira, disse o chefe da equipe, Ross Brawn.

“Teríamos um carro vencedor, e essa é a tragédia”, declarou à Reuters, por telefone, o ex-diretor técnico da Ferrari.

“Nossa informação diz que, em relação às outras equipes, nós tínhamos um carro muito forte para o próximo ano, e ainda continuaríamos desenvolvendo.”

A Honda anunciou nesta sexta-feira que a equipe, cuja participação estava confirmada no campeonato de 2009, está à venda e que não permanecerá na Fórmula 1 como construtora ou como fornecedora de motores, devido à crise global de crédito.

Brawn, que mantém uma forte relação com a Ferrari depois do período muito bem sucedido em que esteve lá com o heptacampeão Michael Schumacher, disse que a substituição do motor Honda não será problema caso haja um comprador para a equipe.

Segundo Brawn, ele e o diretor-executivo da Honda na Fórmula 1, Nick Fry, discutiram a situação com membros de outras equipes na quinta-feira, e estão seguros do apoio deles.

“Eu acho que qualquer uma das outras equipes nos ajudaria com o fornecimento de motores se for preciso”, disse. “Esse não é o obstáculo. Vamos encontrar um motor para o ano que vem.”

A Force India encerrou recentemente o contrato de fornecimento de motores com a Ferrari, deixando a construtora italiana com capacidade ociosa mesmo que já atenda a Toro Rosso, da Red Bull.

A Force India queria que a Ferrari fornecesse um conjunto completo com motor e caixa de câmbio, mas Brawn disse que sua equipe não vai precisar comprar mais que o motor.

O novo Kers (sistema cinético de recuperação de energia, na sigla em inglês), que aproveita o calor dos freios para gerar breves impulsos de potência, também não será um problema já que ainda está em implantação e não é obrigatório no começo da temporada.

Brawn, que viu sua equipe terminar 2008 em nono lugar, disse que o orçamento e o número de funcionários da equipe vão depender do eventual comprador.

“Pode ser como a Toro Rosso, com cerca de 150 pessoas, ou com 500 a 600”, afirmou. “Esse último seria o ideal, mas se é uma questão de sobrevivência, então pode ser o primeiro.”

Brawn disse que é a primeira vez que ele pode perder o emprego em sua carreira na Fórmula 1, mas acrescentou que foi para a Honda no fim de 2007 com um desafio e que pretende superá-lo.

“Essa é uma oportunidade única para comprar uma equipe com algumas da melhores instalações da Fórmula 1, com a melhor equipe de trabalho e com um carro que pode ser um dos melhores”, disse.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below