Drogba diz que tinha perdido a paixão pelo futebol

terça-feira, 30 de dezembro de 2008 17:46 BRST
 

PARIS (Reuters) - O atacante Didier Drogba, do Chelsea, disse que perdeu a paixão pelo futebol após a morte de sua avó no último verão europeu.

O jogador da Costa do Marfim, de 30 anos, perdeu a condição de titular para Nicolas Anelka na linha de frente do Chelsea após um ano difícil, marcado por lesões e suspensões.

Ele disse para revista France Football que sente a necessidade de dar um tempo enquanto se recupera de uma lesão no joelho.

"A coisa mais difícil que eu tive que encarar este ano não foi relacionada ao futebol. A morte da minha avó em junho me arrasou completamente, mais do que qualquer outra coisa", disse Drogba em entrevista publicada nesta terça-feira.

"Eu era muito próximo a ela e isso me fez sofrer muito. Isso fez com que eu me perguntasse algumas coisas. Eu queria saber atrás do que eu estava correndo. E eu disse para mim mesmo que era muito inútil correr atrás de resultados ou recompensas", acrescentou ele.

"Eu não queria ouvir sobre metas ou ambição. Eu me senti totalmente desligado. Pela primeira vez eu perdi minha paixão pelo futebol. Eu não queria lutar".

"Todo verão eu me sinto mal. Eu não estou procurando desculpas, eu apenas admito que, por enquanto, eu coloquei o futebol em segundo plano. Eu não estava apto para me recuperar da minha lesão, nem mesmo motivado".

Drogba disse que se sente só durante o verão.

"A verdade é que eu não sinto um forte apoio (do Chelsea)", disse ele. "Eu percebi que algumas pessoas no clube tinham dúvidas sobre minha capacidade de me recuperar. Mas eu também não guardo mágoa deles, j'a que de minha parte eu não estava completamente comprometido com o futebol".

Drogba se recusou a comentar rumores sobre uma proposta de jogar no Inter de Milão, onde ele poderia reencontrar o ex-técnico do Chelsea, José Mourinho.

"Esse tempo me fez bem. Agora me sinto muito forte. Me sinto com mais gana do que nunca. Como posso me sentir satisfeito se eu ainda não venci a Liga dos Campeões, a Bola de Ouro, a Copa das Nações Africanas, a Copa do Mundo nem o Mundial de Clubes? Eu ainda acredito que posso alcançar essas metas", disse ele.