Vilão no Brasil, Glock diz que agora quer segurar Hamilton

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009 19:49 BRST
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - Depois de atrair a ira da torcida brasileira por não impedir a ultrapassagem - e o título mundial - de Lewis Hamilton na penúltima curva do GP de Interlagos no ano passado, Timo Glock garante que agora está determinado a manter o inglês da McLaren atrás de si.

Ao ultrapassar o alemão na última volta da temporada, sob chuva, Hamilton conseguiu o quinto lugar na corrida, resultado que tirou o título do ferrarista Felipe Massa, que vencera a prova e poderia ter sido campeão em seu país.

"A meta definitivamente é estar na frente do Lewis", disse Glock a jornalistas que acompanharam pela Internet o lançamento do novo carro da Toyota, quando questionado sobre seus objetivos para o GP de abertura da temporada, em 29 de março na Austrália.

"Se estivermos na frente dele e da McLaren, significa que tivemos um bom começo de temporada."

O alemão disse que ficou chateado com as críticas que recebeu dos brasileiros e ferraristas, mas que já não liga mais para o incidente em Interlagos, corrida em que ele ainda conseguiu um convincente sexto lugar, correndo com pneus lisos - enquanto Hamilton e outros haviam trocado para os pneus de chuva.

"Agora estamos em 2009, e estou focado no meu trabalho. Os torcedores ficaram escrevendo coisas negativas sobre mim, e isso me paralisou um pouco", contou ele. "No começo não foi uma situação fácil. Quer dizer: (é ruim) quando você se senta no carro, faz um bom trabalho, toma a decisão certa e no final recebe um monte de coisas negativas, emails negativos dos torcedores. Não tomamos uma decisão errada (ao não trocar os pneus), e foi bem traiçoeiro lidar com esse negócio."

"Agora não ligo mais", acrescentou. "Temos uma nova temporada, o Brasil já ficou dois meses para trás, e estamos focados em 2009."

A Toyota terminou a temporada em quinto lugar, e a segunda colocação de Glock na Hungria igualou o melhor resultado da equipe desde sua estreia, em 2002.

Glock disse esperar um ano ainda melhor, apesar da determinação do seu companheiro, o italiano Jarno Trulli, de se tornar o primeiro piloto da equipe. "Da mesma forma (que Trulli), quero a primeira vitória para a Toyota neste ano. Também seria um sonho para mim, mas afinal temos de pensar na equipe também."