18 de Janeiro de 2009 / às 16:40 / em 9 anos

Especialistas têm memória curta, diz Federer

MELBOURNE (Reuters) - Os especialistas do tênis têm memória curta e precisam colocar as coisas em perspectiva, disse Roger Federer neste domingo.

O suíço busca seu 14o título de Grand Slam no Aberto da Austrália a partir desta segunda-feira, e desdenhou insinuações de que a disputa pode ser mais dura agora do que nos últimos anos de seu domínio.

“Sei que muitas pessoas vivem dizendo que esta geração de (Andy) Murray, (Novak) Djokovic, e Rafa (Nadal) é mais difícil”, disse Federer aos repórteres em Melbourne.

“Não acho que está tão mais difícil do que quando eu comecei. Tínhamos (Andre) Agassi, (Andy) Roddick, (Lleyton) Hewitt, (Marat) Safin, (Juan-Carlos) Ferrero, (David) Nalbandian, todos esses caras.”

“Só que parece que a cada dois anos se esquece do que aconteceu dois anos atrás.”

“Acho que temos tido tênis de alto nível há um bom tempo. Não é de agora que temos quatro grandes jogadores. Acho que eram três antes, mas eram simplesmente nomes diferentes.”

Por Ossian Shine

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below