Milan recuou na hora de vender Kaká, diz Manchester City

terça-feira, 20 de janeiro de 2009 10:14 BRST
 

Por Mitch Phillips

LONDRES (Reuters) - A transferência de Kaká para o Manchester City fracassou porque o Milan se acovardou com a transação, disse na terça-feira o presidente do clube inglês, Garry Cook.

Ele participou da delegação que na segunda-feira passou sete horas em Milão tentando sem sucesso fechar aquela que seria a mais cara transação da história do futebol.

"Viajamos para Milão, claramente com boas intenções, e acho que eles se acovardaram", disse Cook ao canal Sky Sports News.

"Entramos em um acordo de confidencialidade e boa-fé semanas atrás. Sabíamos que havia alguns passos a superar e queríamos superá-los de forma profissional. Respeitamos nossos parceiros, e revelou-se que não era assim que eles queriam que fosse."

O dirigente acrescentou que "claramente (o empecilho) não foi um projeto, foi claramente o dinheiro". "Nunca realmente encontramos o jogador, e as perguntas que fizemos simplesmente não foram respondidas".

O dono do Milan, o primeiro-ministro Silvio Berlusconi, disse que a transferência não ocorreu porque o meia brasileiro preferiu permanecer em Milão.

"O dinheiro não é tudo para Kaká, há coisas mais importantes que o dinheiro", disse Berlusconi. "Oferecemos ao jogador a chance de considerar a oferta..., mas ele tem valores mais elevados."

Cook, porém, diz que o Milan estava disposto a vendê-lo. "Não houve nenhuma oferta ao jogador. A oferta foi feita ao clube, cuja intenção original era vender Kaká ao Manchester City", afirmou. "No estágio que se seguiu a isso, a história deles mudou. Eles mudaram de tom."   Continuação...

 
<p>Kak&aacute; decidiu ficar no Milan REUTERS/Alessandro Garofalo/Files (ITALY)</p>