Uefa se diz preocupada com desequilíbrio financeiro entre clubes

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009 14:02 BRST
 

Por Mark Ledsom

NYON, Suíça (Reuters) - A grande diferença entre os times mais ricos da Europa e os outros é uma das principais preocupações da Uefa em 2009, disse o secretário-geral da entidade, David Taylor, nesta sexta-feira.

"Progredir com o fair play financeiro é uma das três prioridades da Uefa para este ano, junto com a proteção aos times menores e as preparações para a Eurocopa-2012", disse ele em entrevista coletiva, depois de uma reunião de dois dias do comitê executivo da Uefa.

A aquisição de grandes times europeus por investidores estrangeiros e o consequente influxo de capital -- destacado pela oferta de 108 milhões de libras do Manchester City pelo meia Kaká, do Milan, que acabou sem sucesso -- têm causado preocupação.

"Claro que a questão financeira é complexa e delicada, e qualquer mudança terá que ser gradativa e levará algum tempo", disse Taylor.

"Nós discutiremos isso com os clubes e os jogadores, mas eu quero salientar que nós estamos preocupados primeiramente com as nossas competições. Eles são as nossas competições, e é nossa função decidir as condições de participação".

Taylor disse que a Uefa criou um painel de controle de finanças dos clubes para analisar o sistema de licenças já existente na entidade e considerar se novas restrições devem ser implantadas.

Ele disse que o assunto deve ser debatido no conselho estratégico da Uefa -- que inclui a liga, clubes e representantes dos jogadores -- no próximo encontro em 9 de março.

Vários oficiais dos clubes, incluindo o presidente da Associação dos Clubes Europeus, Karl-Heinz Rummenigge, pediram a introdução de limites aos salários dos jogadores.

Taylor se negou a dar qualquer detalhe de possíveis medidas discutidas pelos executivos da Uefa.

"Nós estamos no estágio de discussões, portanto é difícil dar muitos detalhes", disse Taylor. "Nós acreditamos que será melhor discutir publicamente após chegarmos a uma proposta concreta".