Ex-jogador Thuram recusa convite de Sarkozy para ministério

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009 12:12 BRST
 

PARIS (Reuters) - O ex-jogador da seleção francesa Lilian Thuram recusou um convite feito no ano passado pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy, para virar ministro da Diversidade, disse o ex-zagueiro ao jornal Le Monde em entrevista publicada nesta terça-feira.

"Eu me encontrei com Nicolas Sarkozy e Claude Gueant (chefe do gabinete de Sarkozy), que sugeriu que eu me tornasse ministro da Diversidade", disse Thuram, que costuma falar bastante sobre questões sociais e critica Sarkozy com frequência.

"Tivemos uma longa conversa, mas, por razões óbvias, eu só podia recusar", disse. As autoridades do governo se recusaram a comentar o assunto.

Thuram, de 37 anos, fez parte do time que ganhou a Copa do Mundo em 1998 e se aposentou do futebol profissional no ano passado, depois que os médicos identificaram um problema cardíaco durante um exame médico feito antes da sua contratação pelo Paris Saint Germain.

Thuram é um dos jogadores mais populares da França e se manifesta com frequência contra o racismo e sobre os problemas dos jovens que crescem em áreas menos favorecidas das cidades.

Ele é bastante crítico à política imigratória de Sarkozy, assim como ao costume do presidente de chamar tais jovens de "decadentes" ou de "escória".

Mas Sarkozy tem sido bem sucedido em sua estratégia de se juntar a ex-oponentes, convencendo ex-socialistas como o ministro das Relações Exteriores, Bernard Kouchner, a abandonar a lealdade a seu partido e se juntar ao governo.

Ele também colocou pessoas de descendência imigrante nos ministérios, como Rachida Dati, ministra da Justiça que está prestes a sair do cargo, e a vic-ministra das Relações Exterioresr Rama Yade.

 
<p>O ex-jogador da sele&ccedil;&atilde;o francesa Lilian Thuram recusou um convite feito no ano passado pelo presidente da Fran&ccedil;a, Nicolas Sarkozy, para virar ministro da Diversidade. Hoje com 37 anos, ele fez parte do time que ganhou a Copa do Mundo em 1998 e se aposentou do futebol profissional no ano passadoREUTERS/Regis Duvignau</p>