FIA propõe mais cortes no orçamento das equipes de Fórmula 1

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009 15:51 BRST
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) propôs novas medidas de cortes de custos, a fim de permitir que as equipes disputem a temporada de 2010 com menos de um quarto do valor que algumas delas gastaram no ano passado.

"Nossa meta seria cortar o custo (de competir) para 50 milhões de euros (65,17 milhões de dólares) para todo mundo, incluindo as equipes das montadoras", disse um porta-voz da FIA nesta quarta-feira.

Um documento de política de contenção de custos foi enviado às equipes em dezembro, contendo propostas detalhadas que vão bem além do que já foi acertado em face da crise financeira global.

As medidas apresentadas visam tornar possível que uma equipe seja competitiva o bastante para conquistar o título com um orçamento de 50 milhões de euros, e dá pouca vantagem para qualquer rival que gaste mais de 100 milhões.

A meta de 50 milhões de euros é mínima comparando-se aos orçamentos atuais das equipes, como alguns fabricantes, incluindo a Honda, que estimou ter gasto mais de 300 milhões de dólares na temporada passada.

A Honda anunciou em dezembro que abandonará a Fórmula 1, deixando o esporte com nove equipes, caso nenhum comprador seja encontrado a tempo.

A equipe com sede na Grã-Bretanha ainda não anunciou nenhum acordo. A nova temporada começa no dia 29 de março, na Austrália.

A FIA e a Associação de Equipes da Fórmula 1 (Fota) já concordaram com um pacote de medidas para cortar os custos para 2009, centrando-se em motores de duração mais longa, limites sobre o desenvolvimento da aerodinâmica e na proibição de testes durante a temporada.