Sem Kaká, Brasil tem problemas no ataque contra Itália

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009 11:33 BRST
 

Por Mark Meadows

ROMA (Reuters) - O Brasil perdeu Kaká e já não contava com Luis Fabiano e Amauri para o amistoso de terça-feira contra a Itália, em Londres, deixando o técnico Dunga com problemas para escalar o setor ofensivo da equipe

Kaká sofreu uma lesão no tornozelo durante partida do Milan contra o Reggina, no sábado, e ficará afastado dos gramados por duas semanas. Luis Fabiano, também lesionado, já tinha sido cortado, enquanto Amauri, que aguarda o passaporte italiano, não foi liberado pela Juventus por ter sido convocado depois do prazo e pode acabar jogando pela seleção italiana no futuro.

Devido aos problemas no ataque, Alexandre Pato pode ter mais uma chance. O jogador do Milan, de 19 anos, destacou-se pela seleção ao fazer um gol apenas 12 minutos após entrar em campo pela primeira vez, contra a Suécia, em março. No entanto, desde então ele não conseguiu mais jogar bem com a camisa do Brasil.

Outra opção é Adriano, da Inter de Milão, que, no entanto, não tem impressionado por seu clube. Ronaldinho Gaúcho, companheiro de Kaká e Pato no Milan, também foi chamado para o amistoso, mas ainda não está 100 por cento em forma.

Do lado de fora do campo, o amistoso Brasil e Itália gerou polêmica. Alguns políticos italianos pediram o cancelamento da partida por causa do imbróglio entre os dois países em relação à extradição de Cesare Battisti.

O técnico da seleção italiana, Marcello Lippi, desconsiderou os pedidos, mas criticou o fato da partida ser na terça-feira, apenas dois dias após a rodada de fim de semana dos campeonatos nacionais da Europa.

"É um jogo de grande prestígio, mas é uma vergonha ser na terça", disse a repórteres.

"Duas das seleções mais bem sucedidas do mundo vão se encontrar, com os nossos melhores jogadores, e jogar 48 horas depois do campeonato significa que vamos perder alguma coisa", acrescentou Lippi, que preferia que o jogo você na quarta.   Continuação...

 
<p>Alexandre Pato comemora gol pelo Milan .REUTERS/David Moir</p>