Candidatas a sede dos Jogos de 2016 entregam dossiês ao COI

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009 15:35 BRST
 

Por Karolos Grohmann

ATENAS (Reuters) - As quatro cidades candidatas a sede das Olimpíadas de 2016 apresentaram seus planos ao Comitê Olímpico Internacional (COI), em Lausanne, até esta quinta-feira, no que parece ser a disputa mais acirrada da história recente dos Jogos.

Ofuscadas pela crise financeira que já afetou as cidades olímpicas de 2010 e 2012 (Vancouver e Londres), as candidatas -- Rio de Janeiro, Madri, Chicago e Tóquio -- escolheram pequenas delegações para entregar os documentos de suas candidaturas.

A delegação do Rio consistiu de dois membros do comitê organizador e dois adolescentes brasileiros, representando o futuro dos Jogos na cidade.

Chicago optou pelo neto do campeão olímpico de 1936 Jesse Owens, Stuart Owen Rankin, para apresentar o dossiê de sua candidatura. Rankin também visitou rapidamente o museu olímpico para ver os sapatos que seu avô usou para conquistar quatro medalhas de ouro nas Olimpíadas de Berlim.

Tóquio escolheu uma autoridade municipal e um delegado da campanha para apresentar seu projeto.

E a delegação composta por três integrantes de Madri foi acompanhada por um medalhista olímpico e outro paraolímpico, assim como dois cidadãos de Madri.

Depois das apresentações das candidaturas, o COI iniciará uma série de visitas às cidades, antes que a comissão de avaliação faça o seu relatório aos membros do comitê executivo que elegerão a sede dos Jogos de 2016 durante uma sessão do COI no dia 2 de outubro em Copenhague, na Dinamarca.

Chicago é a primeira na lista a ser visitada. A comissão de 13 integrantes planeja ir à cidade entre 4 e 7 de abril. Tóquio é a seguinte (16 a 19 de abril), seguida pelo Rio (29 de abril a 2 de maio) e por fim as inspeções ocorrem em Madri (5 a 8 de maio).   Continuação...

 
<p>As quatro cidades candidatas a sede das Olimp&iacute;adas de 2016 apresentaram seus planos ao Comit&ecirc; Ol&iacute;mpico Internacional (COI), em Lausanne, at&eacute; esta quinta-feira, no que parece ser a disputa mais acirrada da hist&oacute;ria recente dos Jogos. REUTERS/Yiorgos Karahalis (GREECE)</p>