ATP condena negativa de visto de Dubai a tenista israelense

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009 18:52 BRT
 

SAN JOSÉ, EUA (Reuters) - Jogadores e autoridades criticaram o governo dos Emirados Árabes Unidos por negar, no fim de semana, visto de entrada para a tenista israelense Shahar Peer.

Peer competiria no Dubai Championships de tênis, esta semana, mas o futuro do torneio, que distribui 2 milhões de dólares em prêmios, segue incerto após a tenista número 45 do mundo ter sido proibida de entrar no país.

Como resultado, um representante da ATP disse que a organização do evento masculino também revisaria a situação de seu torneio em Dubai, que deveria ser iniciado na próxima segunda-feira.

"Nós estamos muito desapontados em saber da decisão sobre Shahar Peer. Estamos analisando e estamos muito preocupados", disse à Reuters o membro do conselho de diretores da ATP Justin Gimelstob, durante o Aberto de San José.

A situação pode se repetir na próxima semana com a dupla israelense Jonathan Erlich e Andy Ram, que já manifestaram desejo de competir em Dubai.

Como a maioria dos países árabes, os EAU não têm relações diplomáticas com Israel e cidadãos do país têm, geralmente, os vistos negados.

Assim como a WTA, a ATP afirma que países-sede de torneios não podem discriminar jogadores, de qualquer nacionalidade, etnia ou religião, que estejam aptos a competir, sob risco de sanções.

Gimelstob disse que a ATP defenderá os jogadores.

(Reportagem de Matthew Cronin)

 
<p>Tenista israelense Shahar Peer celebra durante o Aberto Pattaya, na Tail&acirc;ndia, no s&aacute;bado. A jogadora teve visto negado para participar de torneio em Dubai, esta semana. REUTERS/Chaiwat Subprasom (THAILAND)</p>