Futebol pode ganhar mais árbitros e suspensões temporárias

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009 12:39 BRT
 

Por Darren Ennis

BELFAST (Reuters) - Os "legisladores" do futebol se reúnem no sábado para discutir mudanças nas regras, o que pode levar à adoção de árbitros adicionais, à expulsão temporária de atletas advertidos com cartão amarelo e a um aumento no número de substituições permitidas.

O International Board, órgão que define as regras do esporte, vai avaliar as vantagens de colocar árbitros auxiliares para fiscalizarem exclusivamente cada grande área, alertando o árbitro para faltas e simulações, e sem a necessidade de adotar o uso do vídeo para dirimir dúvidas, o que amarraria o andamento do jogo.

A Uefa (entidade que dirige o futebol europeu) vai apresentar os resultados dos recentes experimentos feitos em torneios de categorias inferiores e em partidas de seleções na Eslovênia, em Chipre e na Hungria.

O Board (composto por quatro representantes da Fifa e pelas quatro associações de futebol da Grã-Bretanha) também avaliará a possibilidade de adotar a expulsão temporária de jogadores durante a partida, a exemplo do que ocorre no rúgbi. A proposta é da Associação Irlandesa de Futebol.

Já a Associação Escocesa de Futebol propôs aumentar o número de substituições de três para quatro quando houver prorrogação.

A reunião também discutirá o aumento do intervalo de 15 para 20 minutos, e um esclarecimento na regra do impedimento, para evitar incidentes como o de junho na Eurocopa, quando o atacante Ruud van Nistelrooy abriu o placar num gol polêmico, na partida Holanda 3 x 0 Itália.

Na ocasião, houve queixas contra o árbitro porque o zagueiro italiano Christian Panucci estava fora do campo, dando a impressão de que Van Nistelrooy estaria impedido. O novo texto da lei deve deixar claro que, mesmo quando o defensor sai do campo, continua "ativo" do ponto de vista da lei de impedimento.

O novo texto deve declarar que "qualquer jogador defensor que deixe o campo de jogo por qualquer razão sem a autorização do árbitro deve, até que volte ao campo, ser considerado como se estivesse na sua própria linha de gol ou linha de fundo para fins de impedimento".

 
<p>Mario Gomez, do Stuttgart, disputa a bola com Ivica Krizana, do Zenit, observado pelo assistente Keith Sorbie em jogo da Copa da Uefa, na quinta-feira. REUTERS/Kai Pfaffenbach</p>