Fifa quer experimentar segundo árbitro nos campeonatos europeus

sábado, 28 de fevereiro de 2009 13:27 BRT
 

Por Darren Ennis

BELFAST (Reuters) - A Fifa propôs neste sábado a inclusão de juízes extras para monitorar a área de pênalti em um dos grandes campeonatos da Europa na próxima temporada, mas rejeitou a idéia de exclusão temporária para o jogador que recebe cartão amarelo.

O secretário geral da Fifa, Jerome Valcke, disse que a entidade máxima do futebol mundial recebeu cartas das federações francesa e italiana expressando interesse em colocar um bandeirinha a mais no final de cada lado do campo para ajudar os árbitros quando houvesse uma falta real ou uma tentativa de cavar um pênalti.

"Vamos trabalhar até junho para decidir qual liga deve ser usada para a experiência durante uma temporada inteira até 2010 com a possibilidade de chegarmos a uma decisão definitiva em 2011", declarou Valcket.

Ele se referia ao encontro da Associação Internacional de Diretores do Futebol da Fifa (Ifab) --que é formada por quatro associações britânicas e por quatro representantes da Fifa-- que estabelece as regras do esporte mais popular do mundo.

O representante da Escócia na comissão, Gordon Smith, não rejeitou a possibilidade de utilizar a liga escocesa para o teste, mas um dirigente sênior da Federação Inglesa disse à Reuters que "é muito improvável" que qualquer um dos campeonatos disputados na Inglaterra permita tal teste.

O presidente da Uefa, Michel Platini --que é favorável à inclusão de um oficial a mais nos jogos--, disse que "estava confiante" de que um árbitro extra poderia ser utilizado na Euro 2012.

Platini e o presidente da Fifa, Sepp Blatter, são favoráveis a essa mudança em vez da utilização de vídeos para repetir a jogada como são usados em partidas de rugby quando o árbitro não tem certeza a cerca de um lance. Dirigentes afirmam que a interrupção do jogo para ver o replay pode prejudicar a dinâmica da partida.

 
<p>A Fifa prop&ocirc;s neste s&aacute;bado a inclus&atilde;o de ju&iacute;zes extras para monitorar a &aacute;rea de p&ecirc;nalti em um dos grandes campeonatos da Europa na pr&oacute;xima temporada, mas rejeitou a id&eacute;ia de exclus&atilde;o tempor&aacute;ria para o jogador que recebe cart&atilde;o amarelo. REUTERS/Radu Sigheti</p>