March 9, 2009 / 6:21 PM / 8 years ago

Bruno Senna ainda terá futuro na F1, diz Barrichello

3 Min, DE LEITURA

<p>Piloto da Brawn GP Jenson Button durante teste da F&oacute;rmula 1 na Espanha, nesta segunda-feira. O brasileiro Rubens Barrichello &eacute; o outro piloto da escuderia.Albert Gea (ESPANHA)</p>

Por Alan Baldwin

BARCELONA (Reuters) - Rubens Barrichello tentou consolar Bruno Senna nesta segunda-feira, após ter desbancado o sobrinho do tricampeão mundial Ayrton Senna na disputa pela última vaga no grid de largada da Fórmula 1, na equipe Brawn GP.

Barrichello, recordista de corridas na categoria e que correu ao lado de Ayrton antes de sua morte no Grande Prêmio de San Marino de 1994, disse que Bruno Senna obviamente terá um futuro na F1.

Ele acrescentou que tentou em vão falar com o ex-concorrente desde que foi anunciado como piloto da Brawn, na semana passada, inclusive deixando uma mensagem na secretária eletrônica do compatriota.

"Somos bons amigos e, apesar de não termos nos falado nos últimos meses quando estávamos disputando uma posição, isso não tem nada a ver com a gente", disse Barrichello a repórteres após seu primeiro teste com o novo carro da Brawn.

"Foi uma coincidência... que tenhamos concorrido pelo mesma vaga no mesmo momento."

"Mas eu desejo a ele tudo de melhor. Para alguém que tem três ou quatro anos de experiência, ele tem trabalhado de maneira fantástica e tem um futuro na Fórmula 1", acrescentou o piloto de 36 anos.

"Não tinha visto ninguém com três anos de pilotagem, e de repente entrar na Fórmula 1 e ir tão bem quanto ele fez nos testes", declarou Barrichello aos repórteres.

"Tive um pouco de sorte que neste momento a Fórmula 1 mudou um pouco, e por causa da falta de testes, (houve a opção) por pilotos mais experientes."

A categoria baniu testes durante a temporada para cortar custos, o que acabou premiando a experiência.

A carreira de Barrichello na F1 parecia ter chegado ao fim na temporada passada, e a Honda, que vendeu a equipe para Ross Brawn, tornou a permanência dele ainda mais improvável quando anunciou em dezembro que estava deixando a categoria. Até aquele momento, a escuderia testava Bruno Senna e o britânico Jenson Button.

Barrichello, com 270 provas, trabalhou com Brawn quando o britânico era diretor técnico da Ferrari e o brasileiro, companheiro de Michael Schumacher.

O suíço Sebastien Buemi, na Toro Rosso, será o único novato no grid da F1, que começa na Austrália em 29 de março.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below