BMW segue comprometida com a F1, diz Theissen

segunda-feira, 16 de março de 2009 12:34 BRT
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - A BMW segue comprometida com a Fórmula 1 apesar de a crise global ter atingido fortemente o setor automobilístico, disse o chefe da equipe, Mario Theissen, nesta segunda-feira.

A montadora japonesa Honda já deixou o esporte e vendeu sua antiga equipe para Ross Brawn, mas Theissen disse que acredita no ingresso de novas escuderias na modalidade assim que as medidas de cortes de custo surtirem efeito.

"Não tenho dúvida que a Fórmula 1 vai emergir mais forte da atual situação", disse o alemão numa entrevista divulgada pela equipe.

"Assim que as medidas de cortes de custos tiverem seu efeito completo, espero que novas equipes independentes entrem na Fórmula 1 e possam competir nas mesmas condições", acrescentou.

A montadora BMW anunciou na semana passada prejuízo operacional no quarto trimestre.

Perguntado se os investimentos na Fórmula 1 eram justificáveis no atual clima econômico, Theissen respondeu: "Em absoluto."

"A F1 continua sendo a elite do automobilismo. Em nenhum outro lugar você vai encontrar o mesmo carisma em nível global. E nada mais nos oferece desafios tecnológicos tão frutíferos que beneficiem as atividades de pesquisa da companhia como um todo. A Fórmula 1 é muito positiva para a gente."

Theissen acrescentou que a BMW está gastando 40 por cento menos agora com a equipe do que em 2005, quando era apenas fornecedora de motores da Williams.

Em 2008, a equipe teve uma ótima temporada, conquistando sua primeira pole position e depois sua primeira vitória, com o polonês Robert Kubica, no Canadá.

 
<p>A BMW segue comprometida com a F&oacute;rmula 1 apesar de a crise global ter atingido fortemente o setor automobil&iacute;stico, disse o chefe da equipe, Mario Theissen, na segunda-feira. REUTERS/Gustau Nacarino (ESPANHA)</p>