Fifa reúne-se para debater África do Sul e cota de jogadores

quarta-feira, 18 de março de 2009 12:54 BRT
 

ZURIQUE (Reuters) - O Comitê Executivo da Fifa se reúne quinta e sexta-feira para avaliar o progresso da África do Sul na preparação para a Copa do Mundo de 2010 e a legalidade de um projeto de cotas de jogadores, entre outras questões do futebol internacional.

Os preparativos da África do Sul para o Mundial estão longe da tranquilidade e há uma grande preocupação com a venda de ingressos, assunto que certamente estará na pauta da primeira reunião da entidade no ano.

Os organizadores da Copa das Confederações, evento teste para 2010 que acontece em junho, disseram na terça-feira que estão planejando incentivar a venda de entradas para empresas e grandes grupos para tentar encher os estádios.

Uma agenda da reunião enviada à Reuters também inclui um debate sobre a polêmica proposta de cota de jogador chamada 6+5, que obriga os clubes a terem em campo pelo menos seis jogadores formados em sua base.

Será apresentada uma atualização do estudo legal feito pelo Instituto de Relações Europeias sobre a compatibilidade do projeto com as leis da União Europeia. Autoridades da UE dizem que os planos contrariam as leis de livre movimentação de trabalhadores do bloco.

A possibilidade de a Fifa realizar a Copa do Mundo mais uma vez em duas sedes não será debatida, apesar de o tema ter se tornado um dos mais quentes na mídia europeia.

Bélgica/Holanda e Espanha/Portugal apresentaram à Fifa propostas conjuntas para tentar sediar a Copa do Mundo em 2018 ou 2022, apesar de o presidente da entidade, Joseph Blatter, ter deixado claro sua preferência por uma sede única.

"Quando demos a Copa do Mundo de 2002 para Coreia do Sul e Japão, tivemos razões políticas e esportivas para dividir", disse Blatter a repórteres recentemente.

"O que nós achamos na época é que não tivemos uma Copa do Mundo em dois países, mas duas Copas do Mundo em dois países, dois comitês organizadores e gastos dobrados."

Outras questões na pauta do encontro serão o torneio olímpico de futebol, o relatório financeiro da Fifa de 2008 e medidas para proteger os menores no futebol.

(Por Mark Meadows)

 
<p>Oper&aacute;rios na obra do est&aacute;dio Peter Mokaba, em Polokwane, na &Aacute;frica do Sul. 12/02/2009. REUTERS/Siphiwe Sibeko</p>